A Importância da Justificação

“Se você crer em Cristo, Ele não o deixará viver segundo a vontade da carne. Pelo Seu Espírito, Ele o constrangerá a mortificar seus desejos e paixões. Se Ele te der a Graça de fazê-lo crente, Ele te dará a Graça de viver uma vida santa também – se Ele te der a Fé, ele também te dará as boas obras depois disso! Você não pode crer em Cristo a menos que renuncie toda o engano e resolva servir a Ele com um firme propósito de coração…”

“Ó, creiam em Cristo, pobres pecadores! Creiam em Cristo! Vocês que estão cientes de sua culpa e miséria, venham! Lançem-se sobre Ele! Venham e confiem no meu Mestre e, assim como Ele vive, diante do qual estou, vocês nunca crerão nEle em vão! Não, mas vocês se verão perdoados e seguirão seu caminho, pela Sua Graça, regozijando-se em Cristo Jesus!”.
C. H. Spurgeon

Creio que essa citação acima retrate muito bem o que é a justificação e a Graça de Deus em nossa vidas. Assim, Justificação é uma ação que Deus realiza na vida de uma pessoa, e que somente pelo poder do sangue justo de Cristo um pecador arrependido é livre da pesada pena da Lei, que é a morte, reconciliando-se com Deus e considerado justo pela justiça imputada de Jesus Cristo.

A Palavra de Deus nos mostra o motivo e o modo de justificação para o homem: “pois todos pecaram e carecem da glória de Deus, sendo justificados gratuitamente, por sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus, a quem Deus propôs, no seu sangue, como propiciação, mediante a fé […]” (Romanos 3.23-25). A Fé é o meio pelo qual o injusto se torna justo diante de Deus, como no o exemplo de Abraão: “Pois que diz a Escritura? Abraão creu em Deus, e isso lhe foi imputado para justiça.” (Romanos 4.3).

Assim é Deus quem justifica o homem, e a justificação é única, já está feita ou completa em todos os seus sentidos no exato momento em que um pecador crê nas boas novas evangelho do Senhor Jesus. E é através da fé que o Espírito Santo concede a justiça de Cristo ao homem arrependido. A Escritura diz: “É Deus que justifica” (Rom. 8:33). E em outra passagem diz: “Sendo justificados livremente pela Sua graça por meio da redenção que está em Cristo” (Rom. 3:24). Um homem pecador não merece nada que venha de Deus. Assim, a justificação é completamente a Graça e o Amor Divino. Convém ler as passagens de Rm 3:20; 4:2-6; Tt 3:5.

A base da justificação é o sangue e o caráter de justiça de Jesus Cristo. A fé é simplesmente o meio de justificação. O homem, por causa da sua vida pecaminosa, não pode obter obediência perfeita. Assim a justificação deve ter sua base fora do homem, e somente justiça de Cristo que viveu uma vida perfeita, nos dá uma posição positiva diante de Deus.

Contudo, a justificação tem aspectos importantes na nossa vida, sendo que um deles é a remissão dos nossos pecados. O perdão concedido por Deus na justificação aplica-se a todos os pecados, por isso, envolve a remoção de toda culpa e de toda a pena.

As passagens como de Romanos 5.21; 8.1,32-34; Hebreus 10.14; Salmos 103.12; Isaías 44.22 nos falam que a pessoa justificada está isenta de condenação e é herdeira da vida eterna. Assim, a justificação é como um juiz absolvendo o acusado. E isso está declarado em: “e, por meio dele, todo o que crê é justificado de todas as coisas das quais vós não pudestes ser justificados pela lei de Moisés.” (Atos 13.39); “Tais fostes alguns de vós; mas vós vos lavastes, mas fostes santificados, mas fostes justificados em o nome do Senhor Jesus Cristo e no Espírito do nosso Deus.” ( I Coríntios 6.11).

Outro aspecto da justificação é que Cristo Jesus coloca em nós uma veste de sua própria santidade, “nos veste com sua Justiça”. A Escritura diz que, pela fé, temos “…remissão de pecados e herança entre os que são santificados…” (At 26.18). Considere ler também as passagens de Rm 3:22, 4:3-6, 10:4; Fp 3:9. E mesmo depois de sermos justificados, continuamos cometendo pecados (Tg 3.2; 1Jo 1.8). O próprio Cristo nos ensinou isso na oração do Pai Nosso (Mt 6.12).

Na justificação, Deus remove de nós a culpa, a punição eterna (a morte eterna), no sentido jurídico da palavra, mas não a culpa (pesar) que está presente quando praticamos em nossa vida algum pecado. E essa culpa sempre produz em nós um sentimento de tristeza, de arrependimento, de frustração. Um cristão que tem consciência de seu pecado sempre vai confessá-lo para ter o consolo do perdão Divino que vem de um Deus que nos ama tanto que nos chama de seus filhos amados. O Apóstolo Paulo nos diz: “…Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei, para resgatar os que estavam sob a lei, a fim de que recebêssemos a adoção de filhos. E, porque vós sois filhos, enviou Deus ao nosso coração o Espírito de seu Filho, que clama: Aba, Pai” (Gl 4.4-6).

O Espírito de Cristo nos regenera, justifica, santifica e nos capacita a nos achegarmos a Deus cheios de confiança, olhando para ele como nosso Pai de amor eterno sendo filhos herdeiros, e co-herdeiros com Cristo (Rm 8.17).

“Tais fostes alguns de vós; mas vós vos lavastes, mas fostes santificados, mas fostes justificados em o nome do Senhor Jesus Cristo e no Espírito do nosso Deus.” I Co 6:11.

Em I Coríntios 1.30 lemos: “Mas vós sois dele, em Cristo Jesus, o qual se nos tornou, da parte de Deus, sabedoria, e justiça, e santificação, e redenção”.

É tão bom saber que pertencemos a um Deus de Amor que apagou as nossas transgressões, dos nossos pecados não se lembra mais, e que somos feitos justiça de Deus em Jesus.

Assim, conhecer a justificação é importante para vida de todo cristão, porque o entendimento da justificação e da Graça nos move ao coração do nosso Senhor, nos mantém puros e dedicados a Cristo e com isso nos leva a cada dia à santificação e formação do nosso caráter cristão. Quando não reconhecemos o presente de Deus que é “o favor imerecido”, começamos a pensar que merecemos a salvação, ou que nossa justificação vem pelas nossas obras, mas não há nenhuma ação que possamos fazer para nos tornarmos dignos da justiça de Cristo. É somente pela Sua graça, mediante a nossa fé, que Deus nos concede a santidade de Seu Filho. “O justo viverá pela fé” (Habacuque 2:4; Romanos 1:17; Gálatas 3:11; Hebreus 10:38).

Referências:
Ebook Justificação pela Graça – C.H Spurgeon.

http://www.ministeriofiel.com.br/artigos/detalhes/518/A_Justificacao_Ainda_e_Importante

http://www.ministeriofiel.com.br/artigos/detalhes/866/Pode_um_Homem_Ser_Justo_Diante_de_Deus

Justificado em Cristo. O Argumento da Teologia Paulina Ed. Hagnos -Mark A. Seifrid.

Justificação e Regeneração. Ed. Fiel – Charles Leiter.
Livres em Cristo a mensagem de Gálatas para a igreja de hoje e. vid nova – Augustus nicodemus.

ăn dặm kiểu NhậtResponsive WordPress Themenhà cấp 4 nông thônthời trang trẻ emgiày cao gótshop giày nữdownload wordpress pluginsmẫu biệt thự đẹpepichouseáo sơ mi nữhouse beautiful