Podemos Julgar o Próximo?

 

Começamos por um dos versículos mais mal interpretados da Bíblia, a saber, Mateus 7:1 “Não julgueis, para que não sejais julgados.”

O que o mais existe são pessoas que usam versículo fora de contexto. Inclusive aqueles que são confrontados em suas heresias e erros usam esse versículo como uma forma de evitar questionamento. Muitos também defendem hereges e suas condutas usando esse versículo, e muitas vezes em tom de ameaça.

Porém, se queremos seguir o genuíno Evangelho de Cristo, devemos ler os textos sagrados e entendê-los dentro do contexto em que estão inseridos, para que nossa conduta, diante desses mesmos contextos, seja válida e autenticamente cristã.

No capítulo sete do Evangelho de Mateus (quando lemos os demais versículos) do versículo dois ao versículo cinco, há uma clareza muito grande de que não se deve fazer um julgamento hipócrita a respeito das situações.

Em outras palavras, você não deve julgar alguém que comete determinado pecado se você comete o mesmo pecado que você critica. “Não julgueis segundo a aparência, mas julgai segundo a reta justiça” (João 7:24). Mas julgar pela reta justiça, que é a Palavra de Deus, se faz necessário, para não sermos influenciados por nenhum tipo de doutrina que nega a suficiência da Palavra de Deus, o que a ignora completamente.

Neste mesmo capítulo 7 do Evangelho de Mateus, no versículo 15 lemos: “Acautelai-vos quanto aos falsos profetas. Eles se aproximam de vós disfarçados de ovelhas, mas no seu íntimo são como lobos devoradores.” Como nos manteremos a salvo se não julgarmos os frutos desses falsos profetas, que é a orientação dos versículos 16 a 20?

“No entanto, o alimento sólido é para os adultos, os quais, pelo exercício constante da fé, tornaram-se capazes de discernir tanto o bem quanto o mal.” (Hebreus 5:14 ).Exercício da fé, para a capacitação do discernimento do bem e do mal, sem um julgamento bíblico, é possível? Claro que não.

“Raça de víboras! Como podeis falar coisas boas, sendo maus? Pois a boca fala do que está cheio o coração.” (Mateus 12:34 ), são as palavras duras do Senhor Jesus quando questionava o falso moralismo dos fariseus. É bem provável que a maioria dos defensores de hereges não leram versículos como esses, onde o próprio Jesus expõe o erro dos falso.

Seguindo em frente em nossa linha de raciocínio, existem muitos versículos que nos orientam a denunciar o erro, e além de denunciar, a sermos prudentes para não concordarmos com qualquer coisa.

“Amados, não deis crédito a qualquer espírito; antes, porém, avaliai com cuidado se os espíritos procedem de Deus, porquanto muitos falsos profetas têm saído pelo mundo.” (1 João 4:1 ). Sabemos que existem muitos falsos profetas, que são os que dizem que estão fazendo alguma coisa por orientação de Deus, mas que de fato, não ouvem a Deus. Como vamos saber isso se não os provarmos. O texto bíblico é claro, devemos avaliar se os espíritos são de Deus, portanto, devemos julgar e discernir se o que está sendo dito tem sentido e respaldo bíblico.

“Rogo-vos, queridos irmãos, que tomem muito cuidado com aqueles que causam divisões e levantam obstáculos à doutrina que aprendestes. Afastai-vos deles!” (Romanos 16:17 ), ou seja, mantenham-se afastados daqueles que pregam outra coisa que não seja a doutrina dos apóstolos, afastem-se daqueles que não seguem o Evangelho de Cristo. Afastem-se é a orientação de Paulo.

“Esse testemunho é verdadeiro. Portanto, repreende-os com toda a severidade, para que se submetam a uma só fé sadia” (Tito 1:13), se você ler do versículo 9 em diante vai perceber que esses que devem ser severamente repreendidos são os que falam mentiras, heresias, os que pregam por motivações de ficar ricos, de aumentar patrimônio e afins, são esses, que devem ser repreendidos severamente.

“Se alguém chegar a vós, mas não trouxer essa doutrina, não o recebais nas reuniões em vossas casas, tampouco o saudeis. Porque aquele que lhe dá boas-vindas, torna-se cúmplice das suas obras malignas.” (2 João 1: 10 -11 ), se você quer ser cúmplice de alguém que despreza o Evangelho intencionalmente, a responsabilidade é totalmente sua. Porém não diga que a Bíblia não lhe ensina como se conduzir em tal situação, porque está claramente escrito que se os aceitarmos, seremos cúmplices de suas obras malignas.

Interessante também que uma das constatações de nossa realidade atual é que se citamos determinado pastor, ou “cantor gospel”, alguns usam Mateus 7:1 fora do contexto e ainda diz que não devemos expor o nome deles. Dizem que a Bíblia não mostra ninguém expondo ninguém, e nem citando nomes.  A estes, recomendo altamente os seguintes versículos:

“Quando, porém, Pedro chegou a Antioquia, eu o enfrentei face a face, por causa da sua atitude reprovável. Porque antes de chegarem alguns da parte de Tiago, ele fazia suas refeições na companhia dos gentios; todavia, quando eles chegaram, Pedro foi se afastando até se apartar dos incircuncisos, apenas por temor aos que defendiam a circuncisão. 13E os outros judeus de igual modo se uniram a ele nessa atitude hipócrita, de modo que até mesmo Barnabé se deixou influenciar. Contudo, assim que percebi que não estavam se portando de acordo com a verdade do Evangelho, repreendi a Pedro, diante de todos: “Se tu, sendo judeu, vives como os gentios, e não conforme a tradição judaica, por que obrigas os gentios a viver como judeus?” (Gálatas 2:11-14 ), aqui vemos Paulo citando publicamente a conduta de Pedro. Um repreensão publica escrita na Palavra de Deus. Será que Paulo estava errado então? Claro que não, quando o que está em foco é o Evangelho de Cristo, ele deve ser tratado com clareza.

“Porquanto Demas, havendo amado mais o mundo secular, me abandonou e se foi para Tessalônica. Crescente foi para a Galácia, e Tito, para a Dalmácia.” (2 Timóteo 4:10 ), Paulo criticando publicamente Demas que amou demais o mundo.

“Timóteo, meu filho, dirijo essa orientação a ti, levando em consideração o que as profecias anunciaram a teu respeito; com base nelas, luta o bom combate, preservando a fé e a boa consciência; porquanto algumas pessoas, vindo a rejeitá-la, naufragaram na fé. Entre esses estão Himeneu e Alexandre, os quais entreguei a Satanás, para que aprendam a não blasfemar.” (1 Timóteo 1:18-20), Paulo falando novamente, e publicamente, a respeito de Himeneu e Alexandre, citando os nomes deles e seus erros.

Temos diversos outros exemplos: (2 Timóteo 2:15-18 Himeneu e Fileto), (2 Timóteo 4:14-15 Alexandre o Latoeiro), (III João 9 a respeito de Diótrefes) e outra várias referências.

Conclusão: é correto julgar, é correto expor os nomes e erros, é correto repreender aqueles que transgridem a Palavra de Deus intencionalmente. Aos que erram e se arrependem, devemos ser compassivos e ensinar o caminho correto, como todo bom Cristãos. Aos que estão aprendendo a Caminhar no Evangelho devemos ajudar na boa conduta e instruí-los.

Portanto, julgar é bíblico, e altamente recomendável para uma vida cristã sadia.

 

Abraço!

 

Marco Aurélio Cicco

Postagens Relacionadas

ăn dặm kiểu NhậtResponsive WordPress Themenhà cấp 4 nông thônthời trang trẻ emgiày cao gótshop giày nữdownload wordpress pluginsmẫu biệt thự đẹpepichouseáo sơ mi nữhouse beautiful