Reformai
Publicidade:
Home | A Proximidade da Morte: Uma Reflexão para a Vida

A Proximidade da Morte: Uma Reflexão para a Vida(12 min de Leitura)

Porque decorridos poucos anos, eu seguirei o caminho por onde não tornarei.

Jó 16:22

O sol nasce diariamente, e pouco pensamos nele. Da mesma forma, a frequência e a comunhão da morte fazem com que ela seja pouco considerada. Todos os dias, os homens vão para suas casas, e aqueles que choram em luto vão pelas ruas; essa é uma ocorrência na qual pouco se pensa.

No entanto, é uma questão de grande preocupação para todo homem. E embora o assunto solene possa não ser agradável – ainda é a mais alta sabedoria estar preparado para esse evento de acordo com o que é prescrito pelo Evangelho de Cristo. Enquanto a morte é sombria e melancólica para o homem mundano e para o homem sobrecarregado de negócios e devotados de Mamom – ela é, no entanto, às vezes, considerada como um mensageiro bem-vindo pelos aflitos e àqueles que possuem uma boa esperança pela graça.

Porque eu sei que o meu Redentor vive, e que por fim se levantará sobre a terra.

Jó 19:25

I. A Importância da Verdade Afirmada por Jó

[Em Jó 16:22], Jó se refere à sua própria morte, que, por meio de uma figura, é representada por uma jornada sem volta: “Porque decorridos poucos anos, eu seguirei o caminho por onde não tornarei”. O corpo viajará para a sepultura – o espírito para Deus, o Juiz de todos.

Publicidade:

E o pó volte à terra, como o era, e o espírito volte a Deus, que o deu.

Eclesiastes 12:7

Jó esperava que sua morte fosse imediata, portanto, as palavras traduzidas como “alguns anos” são impróprias; e as usadas pelo Sr. Good [1] é preferível, “Mas os anos contados para mim chegaram e devo ir por um caminho de onde não voltarei.”

De acordo com o contexto, Jó esperava a morte a cada hora; e o texto deve ser lido em conexão com o versículo 1 do capítulo seguinte:

O meu espírito se vai consumindo, os meus dias se vão apagando, e só tenho perante mim a sepultura.

Jó 17:1

Ele se sentiu nos braços da morte; ele viu o túmulo já feito para ele; ele acreditava que a hora de sua partida estava próxima. Observe:

Publicidade:

1) A morte é cheia de significado solene

O que é a morte? Torna nula a existência terrena, desvanece as cenas deste tempo:

Os pulmões não respiram mais;
O coração para de pulsar;
O sangue para de fluir e congela;
A língua está em silêncio;
A mão esquece sua habilidade;
Todo o corpo fica imóvel, pálido e medonho.

Observemos:

Publicidade:
  • A morte é a separação do corpo e da alma;
  • A morte é a dissolução de todo laço familiar e social, por mais terno e querido que seja;
  • A morte é a cessação de todas as atividades humanas e o abandono de todas as posses humanas;
  • A morte é uma jornada que deve ser realizada sozinho.

2) A morte é uma jornada que todos devem percorrer

Portanto, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens por isso que todos pecaram.

Romanos 5:12

É na sepultura, onde o rico e o pobre se encontram; reis e súditos, filósofos e tolos. Basta um século se passar para que ele remova todos os habitantes do globo para a silenciosa sepultura. Todos os que agora vivem, nos próximos cem anos, não existirão mais. A morte é inevitável!

3) A morte é um fato estabelecido

Primeiro, a morte é o decreto inviolável de Deus:

És pó e em pó te tornarás.

Gênesis 3:19

Aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo,

Hebreus 9:17

Segundo, é um fato estabelecido pela brevidade da vida; Terceiro, e também estabelecido pelos sintomas de fragilidade humana e tendência à deterioração, já aparentes. E quarto, estabelecido pela aparente facilidade com que o curso da existência humana pode ser interrompido.

Publicidade:

Bom Deus! Oh quão densa é a massa de perigos que vivemos! Um grão pode sufocar – uma migalha pode parar as fontes de vida! Uma respiração, uma tosse, um suspiro – podem prostrar todas as nossas forças vitais e nos preparar para os vermes! Tão variada, também, a textura de nossos corpos, tão complexa a estrutura – que todo movimento tem seu risco! E todas as nossas horas – nossos próprios momentos, são cercados de perigos, tensões, medos e males emboscados!

O que é vida então? Uma bolha inchando para que a morte a estoure!

4) A morte é rodeada de “incertezas”

Digo-vos que não sabeis o que acontecerá amanhã. Porque, que é a vossa vida? É um vapor que aparece por um pouco, e depois se desvanece.

Tiago 4:14

A morte pode nos arrebatar…
No período mais aparentemente improvável,
Quando nossos pensamentos estão menos voltados para ela,
Quando as circunstâncias podem torná-la mais inconveniente,
Quando não estamos totalmente preparados para enfrentá-la.

Publicidade:

Pode vir na primavera da vida – e estragar sua força, vigor e beleza, etc.

Um morre na força da sua plenitude, estando inteiramente sossegado e tranquilo. Com seus baldes cheios de leite, e a medula dos seus ossos umedecida. E outro, ao contrário, morre na amargura do seu coração, não havendo provado do bem. Juntamente jazem no pó, e os vermes os cobrem.

Jó 21:23-26

A morte pode chegar…
No o local de trabalho,
No o salão do prazer,
No sofá da indulgência sensual, etc., etc.

Pode vir de repente, em um só momento – ou pode vir por uma doença duradoura.

Publicidade:

E direi a minha alma: Alma, tens em depósito muitos bens para muitos anos; descansa, come, bebe e folga. Mas Deus lhe disse: Louco! esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será?

Lucas 12:19-20

Esteja pronto!

5)  A morte é um evento seguido por resultados amplamente solenes

Para o próprio indivíduo, a morte…
Termina sua jornada,
É a partida da sua alma para a eternidade,
É a apreensão de demônios ou anjos por sua alma,
É a transmissão da alma para o céu ou para a perdição.

E aconteceu que o mendigo morreu, e foi levado pelos anjos para o seio de Abraão; e morreu também o rico, e foi sepultado. E no inferno, ergueu os olhos, estando em tormentos, e viu ao longe Abraão, e Lázaro no seu seio.

Lucas 16:22-23

A morte acaba com todos as dores, provações e tristezas dos justos . Mas a morte também é o começo de todas as desgraças dos ímpios.

Publicidade:

6)  Por último, a morte é uma jornada da qual não haverá retorno

Vivendo ainda a criança, jejuei e chorei, porque dizia: Quem sabe se DEUS se compadecerá de mim, e viverá a criança? Porém, agora que está morta, por que jejuaria eu? Poderei eu fazê-la voltar? Eu irei a ela, porém ela não voltará para mim.

2 Samuel 12:22-23

Em vão nos demoramos ao lado do cadáver – o semblante não mais sorrirá para nós. Em vão vamos à sepultura – pois ela é surda aos nossos gritos, não nos devolverá a confiança.

Porque há esperança para a árvore que, se for cortada, ainda se renovará, e não cessarão os seus renovos. Se envelhecer na terra a sua raiz, e o seu tronco morrer no pó, ao cheiro das águas brotará, e dará ramos como uma planta. Porém, morto o homem, é consumido; sim, rendendo o homem o espírito, então onde está ele? Como as águas se retiram do mar, e o rio se esgota, e fica seco, Assim o homem se deita, e não se levanta; até que não haja mais céus, não acordará nem despertará de seu sono.

Jó 14:7-12

II. As Causas que este Assunto Deve Produzir

1. Deve despertar a alma para a reflexão: Em meio ao perigo, dormimos. Enquanto os dardos da mortalidade estão voando ao nosso redor, estamos pensando nos prazeres futuros, fazendo planos, criando sonhos, etc.

E isto digo, conhecendo o tempo, que já é hora de despertarmos do sono (…)

Romanos 13:11

2. Deve nos despertar para a ação: É uma grande jornada – e a última jornada que faremos! Naturalmente, não estamos preparados para isso. Precisamos de uma disposição adequada para isso, um passaporte legal, trajes adequados e provisões. Na verdade, precisamos de um interesse salvífico no sangue expiatório de Cristo, para nos tornar participantes da herança dos santos na luz.

Publicidade:

3. Deve induzir vigilância habitual: A morte pode vir como um ladrão à noite! Não se surpreenda quando o noivo vier. Quando os carros de Deus descerem, e Cristo dizer para morte: “Suba aqui!” (Ap 4:1) – esteja pronto!

4. Deve produzir humildade e controle sobre a vaidade e o orgulho: Do que um frágil moribundo pode se orgulhar?

5. Deve alarmar o pecador impenitente.

Publicidade:

6. Deve animar o santo:  “Porque a nossa salvação está agora mais perto de nós do que quando aceitamos a fé.”  (Rm 13:11) Ele logo estará livre do pecado e do sofrimento – logo verá a Deus e o céu, e testemunhará o glorioso arrebatamento para a eternidade!

7. Por último. Ela ensina o valor do Evangelho, que é o remédio soberano para a morte:

E que é manifesta agora pela aparição de nosso Salvador Jesus Cristo, o qual aboliu a morte, e trouxe à luz a vida e a incorrupção pelo evangelho;

2 Timóteo 1:10

[1] Provavelmente William Nicholson estava se referenrindo ao teólogo Thomas Goodwin.

Publicidade:

Título original no inglês “Approaching Mortality!”, 2020 © William Nicholson. Para o uso correto deste recurso visite a nossa Página de Permissões.

Avatar

William Nicholson

William Nicholson (1591-1672) foi bispo em Gloucester (Inglaterra), foi um puritano grande defensor da disciplina bíblica. É autor de diversas obras teológicas, destacando-se "Apologia na Disciplina da Igreja Antiga".

Publicidade:
Publicidade:
  • Como Funciona
        • Classificações

        • Principais Assuntos

        • Encontre

        • Recomendamos

        • Lista de Assuntos

        • Arquivos

        • Busque

          Digite uma palavra-chave…

  • Assine
  • Artigos
  • Assuntos
  • Autores
  • Downloads
  • Podcast
  • Séries
AdBlock Detectado

Parece que você está usando uma extensão de navegador de bloqueio de anúncios. Fazemos uso de publicidade em nossa plataforma para nos ajudar com os custos da plataforma e da nossa equipe. Por favor, insira nosso site na lista de permissão em sua extensão. Você pode assinar um dos nossos planos e ter acesso sem publicidade e muitos outros benefícios.

Conteúdo protegido por direito autorais.