Reformai
Publicidade:
Home | Biografia: Jeremiah Burroughs

Biografia: Jeremiah Burroughs(9 min de Leitura)

Publicidade:
Image
Publicidade:
Image

Jeremiah Burroughs combinou harmoniosamente em sua própria pessoa o que poderia ser considerado qualidades incompatíveis: um fervoroso zelo pela pureza da doutrina e do culto, e um espírito pacífico, que ansiava e trabalhava pela unidade dos cristãos. Pela primeira dessas qualidades, os puritanos são famosos; no segundo, eles são considerados deficientes por alguns críticos. 

Um estudo aprofundado do problema sugere que, como um todo, os puritanos não estavam mais, e nem menos, preocupados com a unidade visível da Igreja do que com a Palavra de Deus. Mas no caso de Burroughs, certamente, estamos diante de um homem que, entre seus contemporâneos e colegas, foi reconhecido como destacado por seu temperamento e esforços conciliadores. A opinião frequentemente citada de Richard Baxter era que se todos os episcopais fossem como o arcebispo Ussher, todos os presbiterianos como Stephen Marshall e todos os independentes como Jeremiah Burroughs, as feridas da Igreja logo seriam curadas. Do próprio Burroughs, foi dito que seu coração estava partido pelas divisões entre os reformadores puritanos na década de 1640 e que isso contribuiu para sua morte prematura aos 47 anos.

A vida e o ministério de Burroughs, embora comparativamente curtos, exemplificam muitas das melhores características da época a que ele pertencia. Nascido em 1599, ele foi educado no Emmanuel College, Cambridge. Fundado em 1584, no local de uma antiga faculdade dominicana, Emmanuel College tornou-se o maior seminário de pregadores puritanos. Através dele passaram Thomas Hooker, John Cotton, Thomas Shepard (todos eles pais fundadores da Nova Inglaterra), além de Stephen Marshall, William Bridge , William Bridge , Anthony Burgess, Thomas Brooks e Thomas Watson . Registra-se que, enquanto ainda estava em Cambridge, Burroughs era um não-conformista e acabou sendo forçado a deixar a universidade por esse motivo.

Publicidade:
Image
Publicidade:
Image

O ministério de Jeremiah Burroughs cai rapidamente em três períodos:

(I) Período: Após Cambridge

Depois de deixar Cambridge, ele ministrou a duas congregações em East Anglia, a região onde a influência dos princípios puritanos era mais forte. Em sua primeira acusação, em Bury St Edmunds, o colega de Burroughs foi Edmund Calamy, que também seria mais tarde um famoso pregador da cidade, além de um dos principais escritores (um dos co-autores de um tratado contra o episcopado e a liturgia de a Igreja da Inglaterra) e um líder da igreja (após a Restauração de Charles II, ele recusou um bispado). Em 1631 Burroughs foi nomeado Reitor de Tivetshall, Norfolk. Embora Anglia Oriental fosse uma fortaleza puritana, sua posição logo estava em risco, pois os bispos, sob a direção geral de Laud, estavam determinados a impor a conformidade em todo o país. O bispo Wren de Norwich (mais tarde de Ely) foi um dos membros mais graves e fanáticos do banco episcopal. 

Por meio de seus artigos, ele insistiu em colocar a mesa da comunhão em forma de altar, encorajou gestos supersticiosos (não incluídos no Livro de Orações) e proibiu sermões da tarde no dia do Senhor, além de exigir que todos os ministros leiam o ‘Book of Sports’ (Livro dos Esportes), que pedia ao povo que se envolvesse em várias recreações no dia do Senhor, depois de assistir à adoração matinal. Vários ministros piedosos foram suspensos por Wren por não conformidade ou por se recusarem a ler o ‘Livro dos Esportes’, entre eles Calamy, Bridge e Burroughs.

Publicidade:
Image
Publicidade:
Image

(II) Período: Expulsão da Inglaterra

O regime laudiano fez com que não apenas ministros puritanos, mas muitos cidadãos e membros da igreja deixassem a Inglaterra, buscando liberdade para adorar a Deus de acordo com as Escrituras e suas consciências. Alguns atravessaram o Atlântico para fundar uma Nova Inglaterra. Outros, como os reformadores protestantes um século antes, buscavam refúgio no continente. Na década de 1630, a Holanda, que havia sacudido o jugo da Espanha católica romana, era especialmente hospitaleira para os exilados. Uma sucessão de grandes notáveis ​​ministraram às congregações inglesas lá. O erudito Dr. William Ames, ex-professor de Teologia da Universidade de Franeker, tornou-se professor da Igreja Inglesa em Roterdã em 1632 (embora ele tenha morrido no ano seguinte), e Burroughs concordou em 1637 em cumprir o mesmo cargo. Seu curso continuou paralelo ao de William Bridge, que, depois de ser forçado a deixar seu cargo em Norwich pelo bispo Wren, juntou-se a Burroughs em Roterdã como pastor da Igreja. (Os independentes, como os congregacionalistas da Nova Inglaterra, consideravam os ofícios de pastor e professor distintos, embora, é claro, similares.)

(III) Período: Expulsão da Inglaterra

O período final, até sua morte em 1646, testemunhou seu maior sucesso como pregador popular em Londres e um dos principais reformadores da persuasão independente. O Parlamento, que encerrou muitos dos aspectos questionáveis ​​da era laudiana, convidou os ministros exilados, entre eles Burroughs, a voltar para a Inglaterra. Ele voltou em 1642 para desempenhar um importante papel duplo, como pregador da cidade e como um dos criadores do novo assentamento religioso. Nesta última função, ele foi convocado para ocupar seu lugar como membro da Assembléia de Westminster. Burroughs desempenhou um papel importante no trabalho da Assembléia, embora ele estivesse entre o pequeno grupo de independentes que se opunham a certas características da forma de governo da igreja acordada pela maioria da Assembléia. Os “Cinco Irmãos Dissidentes”, como os líderes independentes foram chamados, estavam, porém, em pleno acordo doutrinário com os outros puritanos, e Burroughs, principalmente, deplorava a profunda divisão que se seguiu.

Uma de suas obras mais famosas foi Irenicum ou Heart-Divisions Opened ,na qual ele implorou pela unidade de todos os que amavam a verdade, e argumentou que o que fazia diferenças comparativamente menores em causas de divisões rígidas era um espírito errado e motivos errados. Seus esforços para promover um assentamento unificado da igreja foram infrutíferos, embora muitos dos principais ministros puritanos mantivessem, como ele, um verdadeiro senso de proporção.

Publicidade:

No período de ascensão do Parlamento, muitos dos mais capazes pregadores gravitaram em direção a Londres, e Burroughs foi escolhido para pregar em Stepney e Cripplegate, descrito na página de rosto da primeira edição da The Rare Jewel of Christian Contentment como ‘duas das maiores congregações na Inglaterra ‘. Em Stepney, ele compartilhou o ministério com William Greenhill, famoso por seu Comentário sobre Ezequiel, para que Burroughs (que pregava às 7 horas da manhã) fosse chamado a estrela da manhã de Stepney, e Greenhill a estrela da noite.

A substância da pregação de Burroughs é revelada em seus trabalhos publicados, que são principalmente sermões. Esses escritos, a maioria publicados postumamente, eram extremamente populares no século XVII, mas nunca foram coletados e publicados como um conjunto completo. Sua compreensão da doutrina, discernimento nos próprios recantos do coração humano, conhecimento abrangente e profundo das Escrituras e capacidade de aplicá-la, e excelente presente de ilustração, são todos exemplificados. Burroughs morreu em 1646, duas semanas após uma queda de seu cavalo.


Baseado na ‘Introdução Biográfica’ de Michael Boland a The Rare Jewel of Christian Content, de Burrough , publicado pela Trust in the Puritan Paperbacks series. © Traduzido por Amanda Martins. Para o uso correto deste recurso visite nossa Página de Permissões.

Publicidade:
Publicidade:
Jeremiah Burroughs

Jeremiah Burroughs

Jeremiah Burroughs (1600-1646) foi um ministro congregacional puritano no século XVII. Burroughs foi um dos membros da Assembleia de Westminster, além de ter sido autor de diversas orbas teológicas.

Publicidade:
Image