Ministério Reformai
Publicidade:
Home | Educando os Filhos no Caminho do Senhor

Educando os Filhos no Caminho do Senhor

ARQUIVO DO ÁUDIO PARA DOWNLOAD DISPONÍVEL SOMENTE PARA ASSINANTES REFORMATA, ECCLESIA E CORAM DEO. SEJA PREMIUM.


Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele.

Provérbios 22:6

Suponho que a maioria dos cristãos e professos estejam familiarizada com o texto em destaque. O som dele é provavelmente familiar aos seus ouvidos, como uma música antiga. É provável que você tenha ouvido ou lido, falado ou citado muitas vezes. Não é assim?

Mas, afinal, quão pequena é a substância deste texto considerado! A doutrina que ele contém parece pouco conhecida, o dever que nos é posto parece raramente praticado. Leitor, eu não falo a verdade?

Vivemos nos dias em que há um grande zelo pela educação em todas as áreas. Ouvimos falar de novas escolas surgindo de todos os lados. Somos informados de novos sistemas e novos livros para os jovens, de todo tipo e descrição. E ainda por tudo isso, a grande maioria das crianças não são claramente treinadas no Caminho que devem seguir, pois, quando crescerem a estatura de homem ou mulher, elas não andam com Deus.

Agora, como devemos explicar a condição dessas coisas? A verdade é que o mandamento do Senhor destacado em nosso texto não é considerado como deveria ser; e, portanto, a promessa do Senhor em nosso texto não é cumprida.

Leitor, esse assunto pode dar origem a grandes buscas em seu coração. Tome então uma palavra de exortação de um ministro, sobre a educação correta das crianças. Acredite em mim, o assunto é aquele que deve nos fazer voltar para casa e ser propagado em todas as pessoas, em todas as circunstancias, fazendo com que todos se perguntem: “Estou andando de acordo com as Escrituras?”

Venha agora, e deixe-me colocar diante de você algumas dicas sobre a educação correta. Deus o Pai, Deus o Filho, Deus o Espírito Santo os abençoe e lhes dê o entendimento de Sua Palavra. Nunca rejeite o ensino as crianças porque elas são contundentes e simples; não as despreze por não conterem algo novo. Esteja certo, elas não deveriam ser levemente postas de lado, mas cuidadas para serem levadas ao céu.

O FUNDAMENTO A SER ENSINADO

Primeiro, então, educar seus filhos corretamente é treiná-los da maneira que eles devem se atentarem e seguirem a Palavra de Deus, e não da maneira que eles naturalmente fariam, segundo os seus próprios corações. Lembre-se de que as crianças nascem com uma inclinação decidida para o mal e, portanto, se você deixar que elas escolham por si mesmas, é certo que escolherão o que é errado.

A mãe não pode dizer se o seu bebê será alto ou baixo, fraco ou forte, sábio ou tolo quando crescer: ele pode ser qualquer uma dessas coisas ou não – é tudo incerto. Mas uma coisa a mãe pode dizer com certeza: seu filho terá um coração corrupto e pecaminoso. É natural para nós fazermos errado. A ‘estultícia’, diz Salomão, ‘está ligada ao coração da criança’ (Pv 22:15). Nossos corações são como a terra em que pisamos; deixe-o sozinho, e é certo que terá ervas daninhas.

Lidar de maneira sábia com seu filho significa então que você não deve deixá-lo à orientação de sua própria vontade. Pense por ele, julgue por ele, aja por ele, assim como você faria com um fraco e cego; mas, por piedade, não dê a ele seus próprios gostos e inclinações. Não siga e nem consulte os seus gostos e desejos, mas siga sempre a Verdade. Ele ainda não sabe o que é bom para sua mente e alma, mais do que o que é bom para seu corpo. Se você não pode deixa-lo decidir o que ele deve comer, beber ou se vestir, porque ele não tem ainda discernimento para isso, seja então consistente e lide com a sua mente da mesma maneira. Treine-o no modo bíblico e correto, e não da maneira que ele goste simplesmente.

Se você não consegue se decidir por este primeiro princípio do ensino cristão, é inútil que você siga adiante. A vontade própria é quase a primeira coisa que aparece na mente de uma criança; e deve ser a primeira coisa a ser resistida.

O FRUTO DO ESPÍRITO É NECESSÁRIO

Ensine o seu filho com toda ternura, carinho e paciência. Não quero dizer que você deve mimá-lo, mas quero dizer que você deve deixá-lo ver que você o ama e está ensinando ele por este motivo. O amor deve ser o fio de prata que percorre toda a sua conduta. Bondade, gentileza, longanimidade, tolerância, paciência, simpatia, disposição para entrar em problemas infantis, disposição para participar de alegrias infantis – essas são as cordas pelas quais uma criança pode ser levada com mais facilidade – estas são as pistas que você deve seguir se você encontrar o caminho para o coração dele.

Na verdade, poucos são encontrados, mesmo entre pessoas adultas, que não mais se permitem ser dirigidas. Existe isso em todas as nossas mentes que se levantam contra a compulsão; Montamos nossas costas e endurecemos nossos pescoços com a própria ideia de obediência forçada. Somos como jovens cavalos na mão de um destruidor: manuseie-os gentilmente e você fará muito deles, e em pouco tempo os guiará com fio; mas use-os de maneira rude e violenta, e demorará muito mais até você conseguir o domínio deles.

As crianças são criaturas fracas e tenras e, como tal, precisam de tratamento paciente e atencioso. Devemos lidar com elas delicadamente, como vasos frágeis, para que, com dedilhado áspero, façamos mais mal do que bem. Eles são como plantas jovens e precisam de rega suave – são muitas regas, mas pouco em cada uma delas.

Não devemos esperar ter todos os resultados ao mesmo tempo. Devemos nos lembrar que são crianças e então ensiná-las da forma como são capazes de suportar. Suas mentes são como um pedaço de metal – não para serem forjadas e tornadas úteis em um só investimento nosso, mas apenas por uma sucessão de pequenos golpes. Seus entendimentos são como vasos de pescoço estreito: devemos derramar o vinho do conhecimento gradualmente, ou muito dele será derramado e perdido. ‘Verso sobre verso e preceito sobre preceito, aqui um pouco e ali um pouco’, deve ser essa a nossa regra. A pedra de amolar faz o seu trabalho lentamente, mas a fricção frequente trará a foice para uma borda fina. Verdadeiramente há necessidade de paciência em ensinar uma criança, mas sem ela nada pode ser feito.

A ETERNIDADE COMO ALVO

Ensine com este pensamento continuamente diante de seus olhos: que a alma do seu filho seja a primeira coisa a ser considerada. Preciosos, sem dúvida, são esses pequeninos em seus olhos; mas se você os ama, pense com frequência em suas almas. Nenhum interesse deve pesar tanto em você quanto seus interesses eternos. Nenhuma parte deles deve ser tão querida para você como aquela parte que nunca morrerá. O mundo, com toda a sua glória, passará; as colinas se derreterão; os céus serão embrulhados como um rolo; o sol deixará de brilhar. Mas o espírito que mora naquelas pequenas criaturas, a quem você ama tão bem, sobreviverá a todas elas.

Este é o pensamento que deve estar em primeiro lugar em sua mente em tudo que você faz para seus filhos. Em cada passo que você dá sobre eles, em cada plano, esquema e arranjo que lhes dizem respeito, não deixe de lado aquela pergunta poderosa: “Como isso afetará suas almas?”. Isso também fala sobre nossas atitudes em todas as questões e circunstancias particulares de sua vida, como o seu trabalho, matrimônio, vida comunitária, e tudo o mais.

O amor da alma é a alma de todo amor. Acariciar, mimar e satisfazer seu filho com base neste mundo, como se esse mundo fosse tudo, a finalidade, a felicidade e para onde ele deve olhar, não é amor verdadeiro, mas crueldade. É tratá-lo como um animal da terra, que tem apenas um mundo para olhar e nada depois da morte. Está escondendo dele aquela grande verdade, que ele deveria aprender desde sua infância – que o fim principal de sua vida é a salvação de sua alma.

Um verdadeiro cristão não deve se conformar com a moda, a beleza ou qualquer coisa secular, se de fato ensina o seu filho no caminho para o céu. Ele não deve se contentar em fazer as coisas simplesmente porque elas são o costume do mundo; não deve ensiná-los e instruí-los de certas maneiras, meramente porque é usual e agradável à carne; não devem fazer com que leiam livros de um tipo questionável, simplesmente porque todo mundo os lê; não devem deixá-los formar hábitos de uma tendência duvidosa, simplesmente porque são os hábitos comuns ou porque trazem alguma vantagem. Sua visão deve estar na alma de seus filhos e na glória de Deus em todas as coisas. Os pais não devem ter vergonha de ouvir que o seu ensino é diferente e estranho ao mundo, pois mesmo que seja estranho, o tempo é curto – a moda deste mundo passa. Aquele que treinou seus filhos para o céu, ao invés de para a terra, para Deus, ao invés de para o homem, ele é o pai que finalmente será chamado de sábio.

CONHECIMENTO ESCRITURÍSTICO

Eduque o seu filho para o conhecimento da Bíblia. Você não pode fazer seus filhos amarem a Bíblia, mas pode ensiná-los no caminho. Ninguém, a não ser o Espírito Santo, pode nos dar um coração para deleitar-se na Palavra. Mas você pode tornar seus filhos familiarizados com a Bíblia; e tenha certeza de que eles não podem se familiarizar com esse livro abençoado tão cedo ou muito bem, senão pelo seu ensino contínuo.

Um conhecimento profundo da Bíblia é o fundamento de todas as visões claras do evangelho. Aquele que está bem fundamentado não será geralmente considerado um oscilador, e transportado por todo vento de nova doutrina. Qualquer sistema de educação que não esteja fundamentado em um conhecimento das Escrituras, é inseguro e infundado.

Assegure que os seus filhos leiam a Bíblia com reverência. Ensine-os a olhar para as Escrituras não como quem olha para meras palavras humanas, mas como é na verdade, a Palavra de Deus, escrita pelo próprio Espírito Santo, e portanto, como a própria verdade, proveitosa para todas as coisas da vida e capaz de nos tornar sábios para a salvação, através da fé que está em Cristo Jesus.

Assegure que a leitura bíblica seja regular. Ensine-os a considerar a Palavra de Deus como alimento diário de sua alma – como algo essencial para suas vidas. Eu sei que isso não pode ser algo meramente religioso, mas não há outra forma da Verdade adentrar em suas vidas e torna-los sábios, reconhecendo seus pecados e a graça de Deus.

Assegure que eles tenham uma leitura completa, sem restringir deles qualquer verdade. Você não precisa se esquivar de trazer qualquer doutrina diante deles. Você não precisa imaginar que as principais doutrinas do cristianismo são coisas que as crianças não podem entender. As crianças entendem muito mais da Bíblia do que podemos supor.

Diga-lhes sobre o pecado, sua culpa, suas consequências, seu poder, sua vileza: você descobrirá que eles podem compreender algo disso. Fale-lhes do Senhor Jesus Cristo e Sua obra para nossa salvação – a expiação, a cruz, o sangue, o sacrifício, a intercessão: você descobrirá que há algo que não está além deles em tudo isso.

Diga-lhes sobre a obra do Espírito Santo no coração do homem, como Ele muda, renova, santifica e purifica: você logo verá que eles podem ir junto com você em alguma medida nisto. Em suma, suspeito que não temos ideia do quanto uma criança pode absorver a extensão e a largura do glorioso Evangelho. Eles veem muito mais dessas coisas do que supomos. Preencha suas mentes com as Escrituras. Deixe a Palavra habitar neles ricamente. Dê-lhes a Bíblia, toda a Bíblia, mesmo quando eles são jovens.


Citações escriturísticas a partir da Almeida Corrigida Fiel (ACF). 2019 © Traduzido por Amanda Martins, revisado por Elnatan Rodrigues, áudio por Sérgio Cavazzoni. Para o uso correto deste recurso visite nossa Página de Permissões.

John Ryle

John Ryle

John C. Ryle (1816-1900) foi bispo da Igreja da Inglaterra, em Liverpool. Conhecido por sua erudição e piedade, Ryle era também um escritor prolífico, um pregador vigoroso e um ministro fiel.

Publicidade:

Assuntos: