Ministério Reformai
Publicidade:
Home | Inferno: Um Lembrete aos Incrédulos

Inferno: Um Lembrete aos Incrédulos


ARQUIVO DO ÁUDIO DISPONÍVEL SOMENTE PARA ASSINANTES REFORMATA, ECCLESIA E CORAM DEO. SEJA PREMIUM.


Um homem veio até mim outro dia e disse: “Eu gosto da sua pregação. Você não prega o inferno, e eu suponho que você não acredita em um.” Agora eu não quero que alguém se levante em julgamento final e diga que eu não fui um fiel pregador da Palavra de Deus. É meu dever pregar a Palavra de Deus assim como Ele me dá; Não tenho o direito de escolher um texto aqui e ali e dizer: “Não acredito nisso”. Se eu jogar fora um só texto sequer da Bíblia, devo então jogar fora toda ela, pois eu leio nela sobre recompensas e punições, céu e inferno.

Ninguém jamais desenhou uma imagem do inferno como o próprio Filho de Deus. Ninguém poderia fazer isso, pois somente Ele sabia o que ocorre ali. Ele não reteve esta doutrina do inferno, mas a pregou claramente; também a pregou com puro amor, assim como uma mãe advertia seu filho sobre o fim de seu curso de pecado.

O Espírito de Deus nos diz que devemos levar nossa memória conosco para o outro mundo. Há muitas coisas que gostaríamos de esquecer. Eu ouvi o Sr. Cough dizer que ele daria sua mão direita se ele pudesse esquecer o quanto ele havia maltratado sua mãe. Eu acredito que o verme que não morre é a nossa memória. Dizemos agora que nos esquecemos e pensamos que isso seja verdade; mas o tempo está chegando quando nos lembraremos, e não podemos esquecer. Nós falamos sobre o anjo da gravação registrando nossa vida. Deus nos faz manter nosso próprio registro [em nossas consciências].

Não precisaremos de ninguém para nos condenar no tribunal de Deus; será nossa própria consciência que surgirá como uma testemunha contra nós. Deus não nos condenará em seu tribunal; nós mesmos nos condenaremos por nossas consciências. A memória é o oficial de Deus, e quando Ele tocar estas fontes secretas e disser: “Homem/mulher, você se lembra…” – então vagando, vagando e vagando virá a memória diante de nós, numa longa procissão, todos os pecados que cometemos.

Eu fui por duas vezes nas garras da morte. Uma vez eu estava me afogando e estava prestes a afundar quando fui resgatado. Num piscar de olhos, tudo o que eu disse, fiz ou pensei passou pela minha cabeça. Eu não sei como cada ato de um homem possa passar em uma lembrança num instante de tempo, mas tudo passou pela minha cabeça de uma só vez. Outra vez, fui apanhado na ponte da rua Clark e pensei que estava morrendo. Então minha consciência pareceu trazer todas as minhas atitudes ao longo de minha vida. Isso acontece para que sejamos recordados de que, de fato, não nos esquecemos de nossas lembranças. É apenas uma questão de tempo. Ouviremos as palavras: “Filho(a), você se lembra…” – e é muito melhor lembrar-se dos nossos pecados agora e ser salvo deles do que adiar tal memória até que seja tarde demais para se arrepender.

Os cientistas dizem que todo pensamento volta novamente, mais cedo ou mais tarde. Ouvi falar de uma criada cujo mestre costumava ler hebraico em seu ouvido, e algum tempo depois, quando ela estava com febre, ela falava hebraico por horas.

Você acha que Caim esqueceu o rosto de seu irmão assassinado, a quem ele matou seis mil anos atrás? Você acha que Judas esqueceu aquele beijo com o qual ele traiu seu Mestre, ou o olhar que o Mestre lhe deu quando disse: “Trai o Filho do Homem com um beijo?” Você acha que aqueles, da época de Noé, se esqueceram da arca e do dilúvio que veio e varreu todos eles?

Meus amigos, é bom ser avisado a tempo. Satanás disse a Eva que ela certamente não morreria [ao comer o fruto proibido]; e há muitos homens e mulheres que pensam que não morrerão, eles pensam que todas as almas serão finalmente salvas apesar de todos os seus pecados.

Você supõe que aquele, dos tempos de Noé, que pereceram – aqueles homens muito vil e pecadores – você acha que Deus levou esses homens diretamente para o Céu deixou Noé, o único homem justo, para passar pelo dilúvio? Você acha que quando o julgamento veio sobre Sodoma, aqueles homens iníquos foram levados diretamente para a presença de Deus, e o único homem justo foi deixado para trás para sofrer as tribulações da vida?

Não haverá um Jesus bondoso e amoroso vindo e oferecendo a salvação no inferno – nem esposa ou mãe amorosa para orar por você, [esperando que com isso Deus lhe salve dos tormentos]. Muitos que estão no inferno dariam milhões em dinheiro se tivessem suas mães para orar por eles para livrá-los daquele lugar, mas será tarde demais. Eles negligenciaram a salvação até o momento em que Deus disse: “Corte-os; o dia da misericórdia terminou”.

Você ri da Bíblia; mas quantos há naquele mundo perdido hoje que dariam incontáveis tesouros se tivessem uma Bíblia que os salvassem por lá! Você pode fazer chacota com os ministros de Deus, mas tenha em mente que não haverá pregação do evangelho no inferno. Aqui eles são mensageiros de Deus para você – amigos amorosos que cuidam da sua alma. Você pode ter alguns amigos orando pela sua salvação hoje; mas lembre-se, você não terá eles nesse mundo perdido. Não haverá ninguém para vir diante de você e colocar as mãos sobre seus ombros e, chorando, clamar para que você se renda a Cristo.

Há algumas pessoas que ridicularizam as reuniões por avivamento, mas lembre-se, não haverá avivamentos no inferno.

Havia um homem em um hospício que costumava dizer para si mesmo com uma voz de horror: “Ah! Se eu tivesse apenas…”. Ele estava encarregado de uma ponte levadiça na ferroviária e recebera ordens para mantê-la fechada até a passagem de um trem expresso; mas um amigo dele, com uma embarcação, o persuadiu para abrir a ponte apenas para ele, e, enquanto ela estava aberta, o trem de repente apareceu em alta velocidade e isso ocasionou uma terrível destruição. Muitos foram mortos e sua falha o enlouqueceu, resultado de sua própria negligência do dever. “Ah! Se eu tivesse apenas…”.

Um outro homem bom passava certo dia enfrente de um depósito quando uma bela jovem estava saindo dele e, já cobiçando em ter relações com aquela moça, então gritou: “Diácono, até onde vai o inferno?” O diácono não deu resposta, mas depois de andar alguns metros, virou-se para o escarnecedor e viu que o cavalo jogara o escarnecedor no chão e quebrara seu pescoço. Eu lhes digo, meus amigos, preferiria eu dar a mão direita do que brincar com as coisas eternas.

Esta noite você pode ser salvo. Estamos tentando levá-lo a Cristo, e se você sair deste local para o inferno, você se lembrará das reuniões que tivemos aqui. Você se lembrará de destes ministros, você se lembrará das pessoas em sua volta e de como, às vezes, parecia estarmos na própria presença de Deus. Nesse mundo perdido, você não ouvirá esse lindo hino que cantamos “Jesus de Nazaré Passa…”, na verdade, Ele já terá passado. Não haverá Jesus passando por esse caminho. Não haverá canções doces de Sião lá. Não haverá pequeninos para orar por seus pais e mães impenitentes.

Agora é um dia de graça e um dia de misericórdia. Deus está chamando homens e mulheres para si. Ele diz: “Não tenho prazer na morte do ímpio, mas sim em que o ímpio se converta do seu caminho e viva; convertei-vos, pois, por que morrereis?”

Oh, se você negligenciar essa salvação, como você escapará de tamanho juízo? Que esperança haverá? Que suas memórias estejam bem despertas hoje, e lembre-se que Cristo está bem aqui! Ele está nesta assembléia, oferecendo salvação a toda alma. Ele não quer que ninguém pereça, mas se volte para Ele e viva.

Quando estive na Exposição de Paris, em 1867, notei uma pequena pintura a óleo, com apenas cerca de 30 centímetros quadrados, e o rosto era o mais hediondo que já vi. Dizem que tem cerca de setecentos anos de idade. No papel anexado à pintura estavam as palavras “Semeando o joio”. O rosto parecia mais um demônio do que um homem e, quando semeou o joio, vieram serpentes e répteis. Eles estavam subindo em seu corpo; e tudo ao redor eram bosques com lobos e animais rondando neles. Eu já vi essa foto muitas vezes desde então. Ah! O tempo de colheita está chegando. Se você semear na carne, você deve colher a corrupção. Se você semear ao vento, você deve colher o redemoinho. Deus quer que você venha a Ele e receba a salvação. Você está diante desse chamado hoje. O céu e o inferno estão diante desta audiência e você é chamado. Qual você terá por herança? Se você ir a Cristo, Ele te receberá em seus braços; se você o rejeitar, Ele irá rejeitar você.

Agora, meus amigos, será que Cristo estará mais disposto a salvá-lo do que agora? Ele terá mais poder do que tem agora? Por que não fazer a sua mente para ser salvo enquanto a misericórdia é oferecida a você?


Trecho do sermão de D. L. Moody, “Hell”. 2019 © Traduzido por Elnatan Rodrigues, revisado por Amanda Martins, áudio por Sérgio Cavazzoni. Para o uso correto deste recurso visite nossa Página de Permissões.

Dwight Moody

Dwight Moody

Dwight L. Moody (1837-1899) foi pregador e escritor. Moody é considerado um dos maiores evangelistas, ele foi considerado um homem simples, pouco dotado nas letras, mas com grande fervor na pregação.

Publicidade: