Ministério Reformai
Publicidade:
Home | Instruções a uma Jovem

Instruções a uma Jovem

Uma carta de Jonathan Edwards, dirigida a uma jovem no ano de 1741

Minha querida jovem amiga…

Como você desejou que eu lhe enviasse, por escrito, algumas instruções sobre como se comportar em sua vida como cristã, eu agora responderei ao seu pedido. A doce lembrança das grandes coisas que tenho visto ultimamente em sua igreja, me inclina a fazer qualquer coisa em meu poder, para contribuir para a alegria espiritual e prosperidade do povo de Deus lá.

  1. Eu a aconselharia a manter um grande esforço e fervor no evangelho, como se você se conhecesse em estado natural e ainda buscasse a conversão. Nós aconselhamos as pessoas sob convicção, a serem sinceras e vigorosas pelo reino dos céus; mas, após algum tempo, não devem ser menos vigilantes, laboriosos e sérios em toda a obra do evangelho, pelo contrário, devem ser ainda mais; porque estão sob responsabilidades infinitamente maiores. Por falta disso, muitas pessoas, em poucos meses depois de sua conversão, começaram a perder seu doce e vivo senso de coisas espirituais, a se tornarem frias e escuras, e “se traspassam com muitas tristezas”; enquanto que, se tivessem feito como o apóstolo, o caminho deles teria sido como a luz brilhante, que brilha mais e mais até o dia perfeito. (Fp 3: 12-14).
  2. Não deixe de buscar, se esforçar e orar pelas mesmas coisas que exortamos as pessoas não convertidas ou maduras a lutar, em um nível ainda mais elevado do que em tempos de conversão. Ore para que seus olhos possam ser abertos, para que você possa receber a visão, para que você possa conhecer a si mesmo e ser levado ao estrado de Deus; e para que você possa ver a glória de Deus e de Cristo e ter o amor de Cristo derramado em seu coração. Aqueles que têm a maioria dessas coisas, ainda precisam orar por eles; pois há tanta cegueira e dureza, orgulho e corrupção remanescentes, que eles ainda precisam ter aquela obra de Deus operada sobre eles, além de iluminá-los e avivá-los, trazendo-os cada vez mais das trevas para a maravilhosa luz de Deus, e ser uma espécie de nova conversão e ressurreição dentre os mortos. Há pouquíssimos pedidos que são apropriados para um homem não arrependido, que também não são, em certo sentido, apropriados para os piedosos.
  3. Quando você ouvir um sermão, ouça por si mesmo. Embora o que é falado possa ser dirigido mais especialmente aos não convertidos, ou àqueles que, em outros aspectos, estão em circunstâncias diferentes de você; contudo, deixe que a principal intenção de sua mente seja considerar: ‘Em que sentido isso se aplica a mim? E que melhoria devo fazer disso, para o bem de minha própria alma?’
  4. Embora Deus tenha perdoado e esquecido seus pecados passados, ainda assim não os esqueça: muitas vezes lembre-se de que escrava miserável você foi na terra do Egito. Muitas vezes, lembre-se de seus atos particulares de pecado antes da conversão; como o abençoado apóstolo Paulo está frequentemente mencionando sua velha blasfêmia, perseguindo o espírito e sua injúria aos piedosos; humilhando seu coração e reconhecendo que ele era “o menor dos apóstolos”, e não digno de “ser chamado apóstolo”, e “o menor de todos os santos” e “o principal dos pecadores”. E muitas vezes confessar seus antigos pecados a Deus, e deixar esse texto estar sempre em sua mente. “Para que te lembres disso, e te envergonhes, e nunca mais abras a tua boca, por causa da tua vergonha, quando eu te expiar de tudo quanto fizeste, diz o Senhor DEUS” (Ez 16:63).
  5. Lembre-se de que você tem mais motivos, em alguns relatos, mil vezes, para se lamentar e se humilhar pelos pecados cometidos desde a conversão do que antes; por causa das obrigações infinitamente maiores que estão sobre você para viver para Deus, e olhar para a fidelidade de Cristo, em imutável continuar sua bondade, apesar de toda a sua grande indignidade desde a sua conversão.
  6. Seja sempre grandemente entristecida pelo seu pecado remanescente, e nunca pense que você está humilhada o suficiente para isso; mas ainda não desanime ou desfaleça por isso; porque, embora sejamos grandes pecadores, ainda assim temos um Advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o justo; a preciosidade de cujo sangue, o mérito de cuja justiça e a grandeza de cujo amor e fidelidade cobrem infinitamente as mais altas montanhas de nossos pecados!
  7. Quando você se compromete com o dever de orar, ou vai à ceia do Senhor ou a qualquer outro dever de adoração divina – venha a Cristo como Maria Madalena fez! Vem, e lança-te aos pés dEle, e beija-os, e derrama sobre Ele a doce pomada perfumada do amor divino, de um coração puro e quebrantado, enquanto ela derramou o precioso perfume do seu puro jarro de alabastro quebrado! “Havia uma mulher que era uma notória pecadora naquela cidade. Quando soube que Jesus estava comendo na casa do fariseu, ela pegou um frasco de alabastro de perfume e se ajoelhou aos pés dele. Ela estava chorando e começou a lavar os pés com suas lágrimas e sacá-los com seus cabelos. Então ela beijou seus pés repetidamente, ungindo-os constantemente com o perfume” (Lc 7:37-38).
  8. Lembre-se de que o orgulho é a pior víbora que está no coração, o maior perturbador da paz da alma e da doce comunhão com Cristo: Foi o primeiro pecado cometido e encontra-se no mais baixo fundamento do edifício inteiro de Satanás com a maior dificuldade desarraigada, e é a mais oculta, secreta e enganadora de todas as concupiscências, e muitas vezes se insinua insensivelmente no meio da fé, até, às vezes, sob o disfarce da própria humildade. “Temer o Senhor é odiar o mal. Eu odeio orgulho arrogante, má conduta e discurso perverso” (Pv 8:13).
  9. Para que você possa fazer um julgamento correto a respeito de si mesma, sempre considere como as melhores descobertas e os melhores confortos, o que tem a maioria desses dois efeitos: Aqueles que fazem de você o menor e o menos importante, e mais como uma criança; e aquilo que mais envolve e firma seu coração, em uma disposição plena e firme para se negar em prol da glória de Deus, e gastar e ser gasto para ele.
  10. Se, a qualquer momento, você cair em dúvidas sobre o estado de sua alma, em quadros sombrios e escuros da mente – é apropriado rever sua experiência passada; mas não consuma muito tempo e força dessa maneira. Em vez disso, aplique-se, com todas as suas forças, a uma busca sincera, depois de renovada experiência, nova luz e novos atos de fé e amor. Uma nova descoberta da glória da face de Cristo fará mais para dissipar nuvens de escuridão em um minuto, do que examinar a velha experiência, pelas melhores marcas que podem ser dadas, durante um ano inteiro.
  11. Quando o exercício da graça é baixo, e a corrupção prevalece, e assim o medo prevalece; não desejem ter o medo expulso de nenhuma outra maneira, do que pelo reavivar e prevalecer o amor a Deus no coração. Com isso, o medo será efetivamente expelido, à medida que a escuridão de um aposento se dissipa, quando os agradáveis raios do sol entram nele.
  12. Quando você aconselha e exorta outros, faça isso com sinceridade, carinho e dedicação. Lembre-se de que você está falando com seus iguais – deixe seus avisos serem misturados com expressões de seu senso de sua própria indignidade, e da graça soberana que faz você diferir.
  13. Se você fizesse reuniões piedosas de jovens mulheres, com outras mulheres, para serem atendidas de vez em quando, além das outras reuniões que você frequenta, eu pensaria que isso seria muito apropriado e proveitoso.
  14. Debaixo de dificuldades especiais, ou quando em uma grande necessidade, ou grandes anseios após, qualquer misericórdia particular, para você ou para outros – separe um dia para oração secreta e jejum sozinho; e que o dia seja gasto, não apenas em petições pelas misericórdias que você deseja, mas em procurar em seu coração, e em olhar sobre sua vida passada, e confessar seus pecados diante de Deus – não como está acostumada a ser feito em oração pública, mas por um ensaio muito particular diante de Deus dos pecados de sua vida passada, desde sua infância até então, antes e depois da conversão, com as circunstâncias e agravos que os acompanham, e espalhando todas as abominações de seu coração muito particularmente e totalmente quanto possível, ante a Ele.
  15. Não permita que os adversários da cruz tenham a oportunidade de reprovar o verdadeiro evangelho por sua conta. Quão sagrados devem os filhos de Deus, os redimidos e amados do Filho de Deus, comportarem-se! Portanto, ande como filha da luz e do dia e adorne a doutrina de Deus, seu Salvador. E especialmente, abunde naquilo que são chamadas as virtudes cristãs – que fazem você amar ao Cordeiro de Deus. Seja mansa e humilde de coração e cheia de amor puro, celestial e humilde por todos. Abunde em ações de amor aos outros e abnegação para os outros. Que haja em ti uma disposição para prestar contas aos outros.
  16. Em toda a sua vida diária, ande com Deus e siga a Cristo, como uma criança pequena, pobre e indefesa, tomando a mão de Cristo, mantendo os olhos nas marcas das feridas nas mãos e nos lados, de onde veio o sangue que te purifica do pecado e esconde a tua nudez debaixo da saia das vestes brancas e brilhantes da sua justiça.
  17. Ore muito pelos ministros e pela igreja de Deus; especialmente, para que Ele continue sua obra gloriosa que agora começou, até que o mundo esteja cheio de sua glória.

Texto retirado de Grace Gems. 2019 © Traduzido por Amanda Martins, revisado por Elnatan Rodrigues. Para o uso correto deste recurso visite a Página de Permissões.

Jonathan Edwards

Jonathan Edwards

Jonathan Edwards (1703-1758) foi pregador congregacional, teólogo calvinista e missionário aos índios americanos, e é considerado um dos maiores filósofos norte-americanos.

Publicidade: