Reformai
Publicidade:
Home | Oração Puritana por Missões

Oração Puritana por Missões(6 min de Leitura)

A motivação puritana para a oração missionária: A eficiência do Espírito Santo

A Reforma redescobriu a obra do Espírito Santo em oposição à atividade religiosa humana, como a administração sacerdotal dos ritos da igreja. Zacarias 4:6 diz que o templo de Deus será edificado “não por força nem por violência, mas pelo meu Espírito, diz o Senhor dos Exércitos”. João Calvino disse: “Devemos ser tão dependentes somente de Deus ao ponto de sermos totalmente persuadidos de que a sua graça é suficiente para nós” (Calvino, Comentário sobre Zacarias 4:1-6).

Essa crença levou homens e mulheres a confiar em Deus em oração e a resistir à sua tendência inata de confiar na capacidade humana. John Howe (1630–1705) escreveu: “Há uma aptidão tão grande para confiar em outros meios e deixar nosso coração neles. Um braço de carne significa muito, enquanto o poder de um Espírito Todo-Poderoso é considerado nada. E as pessoas tendem a ser muito inventivas, e propensas a prever como tais formas externas fariam nossos negócios e tornariam a igreja e o interesse cristão enormemente prósperos” (Iain  Murray, The Puritan Hope , 243 ).

As Escrituras e a experiência também despertaram os reformadores para a realidade dos derramamentos em larga escala do Espírito Santo para a conversão de muitos pecadores, elevando a igreja a novos graus de santidade. John Knox (ca. 1510–1572) escreveu sobre uma notável obra de Deus na Escócia em 1559, dizendo: “Deus multiplicou tanto o nosso número que parecia que os homens tinham chovido das nuvens” (Murray, The Puritan Hope, p. 243). O Espírito Santo pode fazer grandes coisas, muito além de nossas aspirações limitadas.

Publicidade:

A confiança nas promessas de Deus e no poder do Espírito Santo deve nos levar, nas palavras de Howe, a “esperar pacientemente e orar fervorosamente” por uma colheita espiritual mundial. Podemos ter certeza também de que “Ele dará o seu Espírito àqueles que lhe pedirem” (Murray, The Puritan Hope, 254-55 ).

A instrumentalidade do evangelho

João Calvino e os Puritanos ensinaram a doutrina da eleição soberana ou incondicional: Que Deus escolheu certos indivíduos e os ordenou para a vida eterna, para glorificar Sua graça em sua salvação (Efésios 1:4-6). Ao mesmo tempo, eles disseram que Deus leva os seus eleitos para a fé e salvação através da pregação do evangelho (Ef 1:13). Portanto, os reformadores e puritanos trabalharam para espalhar o evangelho (Beeke, Puritan Reformed Spirituality, pp. 54–72, 143–69). Eles treinaram e enviaram pregadores do evangelho e oraram pela propagação do evangelho no mundo perdido.

William Perkins (1558–1602), um patriarca do puritanismo inglês, disse que um princípio fundamental do cristianismo é que Cristo e Seus benefícios devem ser aplicados à alma pela fé, e a fé vem somente pelo ouvir da Palavra (Works,  1:2). O evangelho é “o instrumento e, por assim dizer, o canal do Espírito Santo, para moldar e derivar fé na alma: pela qual fé, aqueles que creem, fazem, como com uma mão, apreender a justiça de Cristo” (Works,  1:70).

Perkins ensinou as pessoas a orarem para que Deus enviasse os pregadores do evangelho ao mundo. Ele escreveu em sua exposição sobre a oração do Pai Nosso: “Quando vermos um povo sem conhecimento e sem bons guias e mestres, ou quando virmos alguém em pé na congregação sem poder ensinar, aqui é motivo de luto. É hora de dizer, Senhor, que venha o teu reino”. Perkins disse que “os cristãos devem orar pelos ministros do evangelho e orar para que seus corações sejam preparados para a edificação do reino de Deus, para a destruição do reino do pecado e de Satanás, e para a salvação das almas de seu povo” (Workes , 1: 336, 339. Essas páginas são consecutivas no livro; a última deveria ser 337). 

Publicidade:

Cristo deu a Sua igreja a comissão de fazer discípulos de todas as nações (Mt 28:18-20). Assim, Matthew Henry escreveu: “A salvação por Cristo deve ser oferecida a todos e não retida, pois não é por sua incredulidade e impenitência que eles são excluídos” (Commentaries, 5:361-62 ). À luz da compaixão e do mandamento de Cristo de orar pelos obreiros (Mt 9:35–38), Henry disse: “Todos aqueles que amam a Cristo e às almas devem mostrar em suas sinceras orações a Deus… que Ele enviaria mais trabalhadores hábeis, fiéis, sábios e aptos para a sua colheita; que Ele operaria na conversão de pecadores e na edificação de santos; daria a eles um espírito para o trabalho, os chamaria e os sucedesse” (Commentaries, 5:105 ). A designação e uso de Deus deste grande meio de graça para a salvação dos homens nos encoraja a orar pelo chamado, treinamento e envio de homens que pregarão o evangelho até os confins da terra. 


Texto original no inglês “Puritan Prayer for World Mission (2)”, originalmente em Meet The Puritans. 2019 © Traduzido por Elnatan Rodrigues.

Publicidade:
Joel Beeke

Joel Beeke

Joel Beeke é presidente e professor de Teologia Sistemática e Homilética no Puritan Reformed Theological Seminary e um dos pastores da Congregação Reformada da Heritage Netherlands.

Publicidade:
Publicidade:
  • Como Funciona
        • Classificações

        • Principais Assuntos

        • Encontre

        • Recomendamos

        • Lista de Assuntos

        • Arquivos

        • Busque

          Digite uma palavra-chave…

  • Assine
  • Artigos
  • Assuntos
  • Autores
  • Downloads
  • Podcast
  • Séries
AdBlock Detectado

Parece que você está usando uma extensão de navegador de bloqueio de anúncios. Fazemos uso de publicidade em nossa plataforma para nos ajudar com os custos da plataforma e da nossa equipe. Por favor, insira nosso site na lista de permissão em sua extensão. Você pode assinar um dos nossos planos e ter acesso sem publicidade e muitos outros benefícios.

Conteúdo protegido por direito autorais.