Reformai
Publicidade:
Home | Tesouros de Davi: Salmos 18

Tesouros de Davi: Salmos 1865 min de Leitura

Publicidade:

Série de exposições em Salmos por Charles Haddon Spurgeon. Confira todas as exposições clicando aqui


Verso 1

Eu te amarei, ó SENHOR, fortaleza minha.

Salmos 18:1
Eu te amarei, ó SENHOR

Com forte e caloroso afeto me apegarei a ti; como o filho se apega aos seus pais ou cônjuge ao seu marido ou esposa. A palavra é intensamente forçada, o amor é do tipo mais profundo. “Vou amar de coração, com minhas entranhas mais íntimas.” Aqui está uma resolução fixa para cumprir a união mais próxima e íntima com o Altíssimo. Nosso Deus Trino merece o amor mais caloroso de todos os nossos corações. Pai, Filho e Espírito reivindicam cada um de nosso amor. O solene propósito de nunca deixar de amar brota naturalmente do atual fervor de afeto. É errado tomar resoluções precipitadas, mas isso quando feito na força de Deus é muito sábio e adequado. 

Minha força

Nosso Deus é a força de nossa vida, nossas graças, nossas obras, nossas esperanças, nossos conflitos, nossas vitórias. Este versículo não é encontrado em 2 Samuel 22 e é uma adição muito preciosa, colocada acima de tudo e depois de tudo para formam o pináculo do templo, o ápice da pirâmide. O amor ainda é a graça coroada.

Publicidade:

Verso 2

O Senhor é o meu rochedo, e o meu lugar forte, e o meu libertador; o meu Deus, a minha fortaleza, em quem confio; o meu escudo, a força da minha salvação, e o meu alto refúgio.

Salmos 18:2
O Senhor é o meu rochedo, e o meu lugar forte

Habitando entre os penhascos e as montanhas da Judéia, Davi escapara da malícia de Saul, e aqui ele compara seu Deus a um lugar de ocultação e segurança. Os crentes são muitas vezes escondidos em seu Deus da luta de línguas e da fúria da tempestade de angústias. 

E o meu libertador 

Interpondo minha hora de perigo. Quando quase capturado, o povo do Senhor é resgatado da mão do poderoso por quem é ainda mais poderoso. Este título de “libertador” tem muitos sermões e é digno do estudo de todos os santos experientes. 

O meu Deus

Ser de Deus significa ter tudo o que precisa em uma só Pessoa. Há uma riqueza sem limites nessa expressão; significa meu bem eterno, imutável, infinito, santo. Aquele que pode dizer verdadeiramente “meu Deus” pode ​​acrescentar “meu céu “, “meu tudo”.

Publicidade:
A minha fortaleza

essa palavra é realmente “minha rocha”, no sentido de força e imobilidade. Minha confiança e apoio eternos, imutáveis ​​e infinitos. Assim, a palavra rocha ocorre duas vezes, mas não é em repetição, pois a primeira vez que é uma rocha para ocultação, mas aqui uma rocha para firmeza e imutabilidade.

Em quem confio

A fé deve ser exercida, ou a preciosidade de Deus não é verdadeiramente conhecida; e Deus deve ser o objeto da fé ou a fé é mera presunção.

O meu escudo

Afastar os golpes do meu inimigo, me protegendo de flecha ou espada. O Senhor fornece seus guerreiros com armas tanto ofensiva quanto defensiva. O nosso arsenal é completamente armazenados de forma que ninguém precisa ir para a batalha desarmado.

Publicidade:
A força da minha salvação 

Capacitando-me a derrotar meus inimigos e triunfar sobre eles com santa exultação.

E o meu alto refúgio

Uma cidadela alta plantada em uma eminência rochosa além do alcance de meus inimigos, das alturas das quais olho sua fúria sem alarde, e observe uma vasta paisagem de misericórdia que chega até a boa terra além do Jordão.

Aqui estão muitas palavras, mas não muitas; poderíamos examinar lucrativamente cada uma delas se tivéssemos lazer, mas, resumindo o todo, podemos concluir com Calvino, que Davi aqui equipa os fiéis da cabeça aos pés.

Publicidade:

Verso 3

Invocarei o nome do Senhor, que é digno de louvor, e ficarei livre dos meus inimigos.

Salmos 18:3

Neste verso, o feliz poeta resolve invocar o Senhor em canções alegres, acreditando que em todos os conflitos futuros seu Deus lidaria tão bem com ele quanto no passado. É bom orar a Deus como a alguém que merece ser louvado, pois então suplicamos de maneira feliz e confiante. Se sinto que posso e abençoo o Senhor por toda a sua bondade passada, tenho coragem de pedir grandes coisas a Ele. Essas palavras “e ficarei livre” têm muito significado. Ser salvo é cantar de fato. Muitos são salvos de luto e duvidando; mas Davi tinha tanta fé que podia lutar cantando e vencer a batalha com uma canção ainda nos lábios. Quão feliz é receber uma nova misericórdia com um coração já sensível à misericórdia e antecipar novas provações com uma confiança baseada nas experiências passadas do amor divino!

Não temendo ou duvidando de Cristo do nosso lado, espero morrer gritando: ‘O Senhor proverá’.

Verso 4

Tristezas de morte me cercaram, e torrentes de impiedade me assombraram.

Salmos 18:4

Na linguagem mais poética, do verso 4 ao verso 19, o salmista agora descreve sua experiência no poder libertador de Jeová. A poesia não tem em todos os seus tesouros qualquer joia mais brilhante que o soneto dos versos seguintes; a tristeza, o clamor, a descida do Divino e o resgate dos aflitos são aqui apresentados com uma música digna das harpas de ouro. O Messias, nosso Salvador, é evidentemente, além de Davi ou qualquer outro crente, o principal e sublime assunto desse cântico; e ao estudá-lo, crescemos cada vez mais certos de que toda linha aqui tem sua realização mais profunda e profunda nEle; mas, como desejamos não estender nosso comentário além dos limites moderados, devemos deixar com o devoto leitor a aplicação muito fácil da passagem ao nosso outrora angustiado, mas agora triunfante Senhor.

Publicidade:
As tristezas de morte me cercaram

A morte como um conquistador cruel parecia girar em torno dele os fios da dor. Ele estava cercado de mortes ameaçadoras do tipo mais terrível. Ele era como um marinheiro quebrado pela tempestade e empurrado sobre as rochas por terríveis demolidores, brancos como os dentes da morte. Triste situação para o homem segundo o coração de Deus, mas é assim que Jeová lida com seus filhos. 

E torrentes de impiedade me assombraram

Nossa alma estava com medo quando ficamos cercados pelas tristezas da morte e pelas blasfêmias dos cruéis. Mas oh, que misericórdia havia em tudo isso, e que mel de bondade foi extraído por nosso Senhor deste leão da aflição! Certamente Deus me ouviu! Você está em uma situação difícil? Caro amigo, aprende com nossa experiência a confiar no Senhor Jeová, que não desiste dos seus escolhidos.

Verso 5

Tristezas do inferno me cingiram, laços de morte me surpreenderam.

Salmos 18:5
Tristezas do inferno me cingiram

Por todos os lados, os cães do inferno latiam furiosamente. Um cordão de demônios cercava o homem caçado de Deus; todo caminho de fuga estava fechado. Satanás sabe como bloquear nossas costas com os navios de guerra de ferro da tristeza, mas, bendito seja Deus, o porto de toda oração ainda está aberto, e a graça pode executar o bloqueio com mensagens da terra para o céu e bênçãos em troca do céu para a terra. 

Publicidade:
Laços de morte me surpreenderam

O velho inimigo caça por sua presa, não apenas com os cães do canil infernal, mas também com as armadilhas de embarcações mortais. As redes foram se aproximando cada vez mais, até que o círculo contraído impediu completamente a fuga dos cativos:

Sobre mim os cordões do inferno foram feridos,
laços de morte meus passos amarrados.

Tão desesperador era o caso desse homem bom, tão desesperador quanto um caso, tão desesperado que ninguém, a não ser um braço Todo-Poderoso, poderia ser útil. De acordo com as quatro metáforas que ele emprega, ele foi amarrado como um malfeitor para execução; oprimido como um marinheiro naufragado; cercado e parado na baía como um veado caçado; e capturado em uma rede como um pássaro trêmulo. O que mais de terror e angústia poderiam encontrar sobre uma pobre cabeça indefesa?

Verso 6

Na angústia invoquei ao Senhor, e clamei ao meu Deus; desde o seu templo ouviu a minha voz, aos seus ouvidos chegou o meu clamor perante a sua face.

Salmos 18:6
Na angústia invoquei ao Senhor, e clamei ao meu Deus

A oração é aquele portão posterior que fica aberto mesmo quando a cidade é cercada pelo inimigo; é assim que se eleva do poço do desespero, para o qual o mineiro espiritual voa de uma só vez quando as inundações do fundo surgem sobre ele. Observe que ele invoca e depois clama; a oração cresce em veemência à medida que prossegue. Observe também que ele primeiro invoca seu Deus sob o nome de Jeová e depois avança para um nome mais familiar, “meu Deus; “assim a fé aumenta com o exercício, e aquele a quem nós inicialmente vimos como Senhor é logo visto como nosso Deus em aliança.

Publicidade:

Nunca é um momento ruim para orar; nenhuma angústia deve impedir-nos de usar o remédio divino da súplica. O barulho das ondas da morte, ou os cães latindo do inferno, o mais fraco clamor de um verdadeiro crente será ouvido no céu.

Desde o seu templo ouviu a minha voz, aos seus ouvidos chegou o meu clamor perante a sua face

Lá dentro, dentro dos muros de jóias, e através dos portões de pérolas, ouvia-se o clamor do suplicante sofredor. A música dos anjos e a harmonia dos serafins serviam para não se afogar ou mesmo prejudicar a voz daquele humilde chamado. O rei ouviu e isso em seu palácio de luz é insuportável. Ele deu ouvidos dispostos ao clamor de seu próprio filho amado. Oração honrada, para poder, assim, através do sangue de Jesus, penetrar nos próprios ouvidos e no coração da Deidade. A voz e o clamor são ouvidos diretamente pelo Senhor, e não forçados a passar pelo meio de santos e intercessores; “Meu clamor veio diante dele”; a operação de oração com Deus é imediata e pessoal. Podemos chorar com importunidade familiar e confiante, enquanto O próprio Pai ouve.

Verso 7

Então a terra se abalou e tremeu; e os fundamentos dos montes também se moveram e se abalaram, porquanto se indignou.

Salmos 18:7

Não havia grande espaço entre o choro e sua resposta. O Senhor não tem folga em relação a sua promessa, mas é rápido em resgatar seus aflitos. Davi tem em seus olhos as gloriosas manifestações de Deus no Egito, no Sinai, e em diferentes ocasiões para Josué e os juízes; e ele considera que seu próprio caso exibe a mesma glória de poder e bondade, e que, portanto, ele pode acomodar as descrições de demonstrações anteriores da majestade divina em seu hino de louvor. 

Publicidade:
Então a terra se abalou e tremeu

Observe como as coisas mais sólidas e imóveis sentem a força da súplica. A oração abalou casas, abriu as portas da prisão e fez corações fortes para codificar. A oração toca a campainha de alarme, e o mestre da casa surge em socorro, sacudindo todas as coisas debaixo de seus passos.

E os fundamentos dos montes também se moveram e se abalaram, porquanto se indignou.

Quem consertou os pilares do mundo pode fazê-los balançar em suas órbitas, e pode sustentar as pedras angulares da criação. As raízes das montanhas altas são arrancadas quando o Senhor se irrita com a ira para ferir os inimigos do seu povo.Como o homem insignificante poderá enfrentar Deus com as mesmas montanhas tremendo de medo? A falsa confiança presente o apoiará no terrível dia da ira.

Verso 8 

Das suas narinas subiu fumaça, e da sua boca saiu fogo que consumia; carvões se acenderam dele.

Salmos 18:8
Das suas narinas subiu fumaça

Um método oriental violento de expressar ira feroz. Como a respiração das narinas é aquecida por fortes emoções, a figura retrata o Todo-Poderoso libertando fumaça no calor de sua ira e na impetuosidade de seu zelo. Nada deixa Deus tão zangado como um ferimento causado a seus filhos. Aquele que te toca toca na menina dos meus olhos. Deus não está sujeito às paixões que governam suas criaturas, mas, agindo como ele com toda a energia e velocidade de quem está zangado, ele está aqui adequadamente exposto em imagens poéticas adequadas aos entendimentos humanos. A abertura de seus lábios é suficiente para destruir seus inimigos; 

Publicidade:
E da sua boca saiu fogo que consumia

Este fogo não foi temporário, mas constante e duradouro;

Carvões se acenderam dele

Toda a passagem pretende representar a descida de Deus para a ajuda de seu filho, assistida por terremotos e tempestades: com a majestade de seu aparecimento. rochas da terra, as nuvens se acumulam como fumaça, e os raios como fogo flamejante devoram, incendiando o mundo. Que grandeza de descrição existe aqui! O bispo Mant rima admiravelmente o versículo assim:

Saiu fumaça de suas narinas aquecidas,
e da boca devorou ​​chamas;
Carvões ardentes anunciaram sua ira,
e lampejos de fogo na carreira.

Publicidade:

Verso 9

Abaixou os céus, e desceu, e a escuridão estava debaixo de seus pés.

Salmos 18:9

Em meio ao terror da tempestade, Jeová, o Vingador, desceu, curvando sob os pés o arco do céu. 

Abaixou os céus, e desceu

Ele veio às pressas e rejeitou tudo o que impedia sua rapidez. A mais espessa escuridão escondeu seu esplendor.

E a escuridão estava debaixo de seus pés

Ele lutou dentro dos densos vapores, como um guerreiro nas nuvens de fumaça e poeira, e descobriu o coração de seus inimigos com o agudo falcion de sua vingança. A escuridão não é impedimento para Deus; sua escuridão mais densa ele faz sua tenda.

Publicidade:

Veja como a oração move a terra e o céu, e levanta tempestades para derrubar em um momento os inimigos do Israel de Deus. As coisas eram ruins para Davi antes de ele orar, mas eram muito piores para os seus inimigos assim que a petição subia para o Céu. Um coração confiante, ao recorrer à ajuda divina, vira a mesa contra seus inimigos. Se eu tiver um inimigo, que ele não seja um homem de oração, ou ele logo vai me tirar o melhor chamando seu Deus para a causa.

Verso 10 

E montou num querubim, e voou; sim, voou sobre as asas do vento.

Salmos 18:10

Há grandeza inimitável neste versículo. Sob o sistema mosaico, os querubins são frequentemente representados como a carruagem de Deus; daí Milton, em “Paradise Lost”, escreve sobre o Grande Pai: “Ele nas asas dos querubins erguidos, em glória paterna, cavalgou para o caos”.

Sem especular sobre o assunto misterioso e muito disputado dos querubins, pode ser suficiente observar que os anjos são sem dúvida nossos guardas e amigos ministradores, e todos os seus poderes são alistados para acelerar o resgate dos aflitos. 

Publicidade:
E montou num querubim, e voou

A natureza também faz com que todos os seus agentes sejam nossos ajudantes, e até os poderes do ar são subservientes.

Sim, voou sobre as asas do vento

O Senhor vem voando quando a misericórdia é a sua missão, mas ele permanece por muito tempo quando os pecadores estão sendo cortejados para se arrepender. O vôo aqui retratado é tão majestoso quanto rápido; “voar por todo o mundo” é a palavra de Sternhold, e ele não está errado. Como a águia voa em fácil grandeza, com as asas abertas, sem agitação e esforço violentos, assim vem o Senhor com majestade de onipotência para ajudar a si próprio.

Verso 11 

Fez das trevas o seu lugar oculto; o pavilhão que o cercava era a escuridão das águas e as nuvens dos céus.

Salmos 18:11

A tempestade engrossou, e as nuvens derramando torrentes de chuva se combinaram para formar a câmara secreta do Deus invisível, mas que trabalha maravilhados. “Pavimentada em uma sombra impermeável”, a fé o viu, mas nenhum outro olho pôde olhar através das “densas nuvens dos céus”. Bem-aventurada a escuridão que envolve meu Deus; se eu não o vejo, é bom saber que ele está trabalhando em segredo para o meu bem eterno. Até os tolos podem acreditar que Deus está no sol e na calma, mas a fé é sábia e o discerne nas trevas terríveis e na tempestade ameaçadora.

Publicidade:

Verso 12 

Ao resplendor da sua presença as nuvens se espalharam, e a saraiva e as brasas de fogo.

Salmos 18:12

De repente, a terrível artilharia do céu foi lançada; o resplendor do relâmpago iluminava as nuvens como se procurasse uma glória daquele que estava oculto no pavilhão nublado; e saraivadas de pedras de granizo e brasas de fogo foram lançadas sobre o inimigo. Os relâmpagos pareciam cortar as nuvens e incendiá-las, e então pedras de granizo e flocos de fogo com lampejos de grandeza terrível aterrorizaram os filhos dos homens.

Verso 13 

E o Senhor trovejou nos céus, o Altíssimo levantou a sua voz; e houve saraiva e brasas de fogo.

Salmos 18:13

Durante todo esse esplendor da tempestade, ecoou o trovão terrível. 

E o Senhor trovejou nos céus, o Altíssimo levantou a sua voz

Acompanhamento adequado para as chamas da vingança. Como os homens suportarão ouvi-lo afinal quando endereçados a eles na proclamação de seu destino, pois mesmo agora seus corações estão em suas bocas se o ouvirem, mas o ouvirão murmurando de longe? Em todo esse terror, Davi encontrou um tema para o cântico, e assim todo crente encontra até nos terrores de Deus um assunto para louvor santo. 

Publicidade:
E houve saraiva e brasas de fogo

São mencionados duas vezes para mostrar como certamente estão na mão divina e são as armas da vingança do Céu. Horne observa que “toda tempestade deve nos lembrar daquela exibição de poder e vingança, que será a seguir para acompanhar a ressurreição geral”; que também não nos assegure o verdadeiro poder daquele que é nosso Pai e nosso amigo, e tenda a nos garantir nossa segurança enquanto ele travar nossas batalhas por nós.O príncipe do poder do ar é logo desalojado quando os querubins a carruagem é conduzida através de seus domínios, portanto, não deixe que as legiões do inferno nos causem consternação: quem está conosco é maior do que todos os que estão contra nós.

Verso 14 

Mandou as suas setas, e as espalhou; multiplicou raios, e os desbaratou.

Salmos 18:14

Os relâmpagos foram lançados como flechas bifurcadas sobre as hostes do inimigo, e rapidamente os “espalhou“. Os pecadores orgulhosos provam ser grandes covardes quando Jeová entra na lista com eles. Eles desprezam suas palavras e são muito valentes na língua, mas quando se trata de golpes, eles voam rapidamente. As chamas brilhantes e os ferozes raios de fogo “os desbaratou“. Deus nunca fica sem armas. Ai daquele que contende com o seu Criador! As flechas de Deus nunca perdem o objetivo; estão cobertos de relâmpagos e farpados com a morte eterna. Voe, ó pecador, para a rocha do refúgio antes que estas flechas grudem na sua alma.

Verso 15 

Então foram vistas as profundezas das águas, e foram descobertos os fundamentos do mundo, pela tua repreensão, Senhor, ao sopro das tuas narinas.

Salmos 18:15

Tão tremendo foi o choque do assalto de Deus nas armas que a ordem da natureza foi mudada, e o fundo dos rios e mares foi descoberto. “Então foram vistas as profundezas das águas” e as profundas entranhas cavernosas da terra foram levantadas até que “foram descobertos os fundamentos do mundo”. O que a “repreensão” de Jeová não fará? Se “o sopro das tuas narinas“, ó Senhor, seja tão terrível, qual deve ser o seu braço? Vã são as tentativas dos homens de esconder qualquer coisa daquele cuja palavra desata as profundezas e levanta as portas da terra de suas dobradiças! Vãos são todas esperanças de resistência, pois um sussurro de sua voz faz toda a terra tremer de abjeto terror.

Verso 16 

Enviou desde o alto, e me tomou; tirou-me das muitas águas.

Salmos 18:16

Agora vem o resgate. O autor é divino, “ele enviou” o trabalho é celestial “do alto“; a libertação é maravilhosa: “Ele me tirou de muitas águas“. Aqui Davi era como outro Moisés, tirado da água; e assim são todos os crentes como o seu Senhor, cujo batismo em muitas águas de agonia e em seu próprio sangue nos resgatou da ira vindoura. Torrentes de maldade não afogarão o homem cujo Deus está assentado sobre as inundações para conter sua fúria.

Verso 17 

Livrou-me do meu inimigo forte e dos que me odiavam, pois eram mais poderosos do que eu.

Salmos 18:17

Quando fomos resgatados, devemos ter o cuidado de atribuir toda a glória a Deus confessando nossa própria fraqueza e lembrando o poder do inimigo conquistado. O poder de Deus deriva honra de todos os incidentes do conflito. Nosso grande adversário espiritual é, na verdade, um “inimigo forte“, forte demais para criaturas pobres e fracas como nós, mas fomos libertados até agora e estaremos até o fim. Nossa fraqueza é uma razão para a ajuda divina.

Verso 18

Surpreenderam-me no dia da minha calamidade; mas o Senhor foi o meu amparo.

Salmos 18:18

Foi um dia de “calamidade“, em que inimigos do mal se aproveitaram cruelmente, enquanto usavam meios ardilosos para arruiná-lo, mas Davi podia dizer: “mas o Senhor foi o meu amparo“. Que benção, o “mas” corta o nó górdio e mata a hidra de cem cabeças! Não há medo de libertação quando estamos em Jeová.

Verso 19 

Trouxe-me para um lugar espaçoso; livrou-me, porque tinha prazer em mim.

Salmos 18:19
Trouxe-me para um lugar espaçoso

Depois de um longo tempo na prisão, José chegou ao palácio e, da caverna de Adullam, Davi subiu ao trono. Doce é o prazer após a dor. O alargamento é o mais agradável depois de uma temporada de pobreza e confinamento doloroso. Almas sitiadas deliciam-se com os amplos campos da promessa, quando Deus afasta o inimigo e abre os portões da cidade. O Senhor não deixa sua obra pela metade, por ter derrotado o inimigo, ele leva os cativos à liberdade. Grande é realmente a posse e o lugar do crente em Jesus, não precisa haver limite para sua paz, pois não há limite para seu privilégio. 

Livrou-me, porque tinha prazer em mim

A graça livre está no alicerce. Tenha certeza, se formos fundo o suficiente, a graça soberana é a verdade que está no fundo de todo poço de misericórdia. A pesca em alto mar no oceano da generosidade divina sempre traz as pérolas da eleição, discriminar o amor à luz. Por que Jeová deve se deleitar conosco é uma pergunta sem resposta e um mistério que os anjos não podem resolver; mas que Ele se deleita com seu amado é certo e é a raiz frutífera de favores tão numerosos quanto preciosos. Sente-se e, digerida interiormente, a sentença instrutiva que está diante de nós, e aprenda a ver o amor sem causa de Deus como a causa de toda a bondade de que somos participantes.

Verso 20

Recompensou-me o Senhor conforme a minha justiça, retribuiu-me conforme a pureza das minhas mãos.

Salmos 18:20
Recompensou-me o Senhor conforme a minha justiça

Essas acusações que Davi declara serem totalmente falsas e afirma que ele possuía uma justiça dada pela graça que o Senhor graciosamente recompensou em desafio a todos os seus caluniadores. Diante de Deus, o homem segundo o coração de Deus era um humilde pecador, mas diante de suas calúnias, ele podia, com o rosto sem vergonha, falar do “limpeza de suas mãos“.

Um homem piedoso tem a consciência limpa e sabe que está em pé; ele deve negar sua própria consciência e desprezar a obra do Espírito Santo, hipocritamente se mostrando pior do que é? Um homem piedoso valoriza muito a sua integridade, caso contrário ele não seria um homem piedoso; ele deve ser chamado de orgulhoso porque não perderá prontamente a joia de um personagem respeitável? Um homem piedoso pode ver que, na providência divina, retidão e verdade certamente trarão sua própria recompensa; não pode, quando vê a recompensa concedida em seu próprio caso, louvar ao Senhor por isso? Sim, ele não deve mostrar a fidelidade e bondade de seu Deus? Leia o conjunto de expressões neste e nos versículos a seguir como o canto de uma boa consciência, depois de ter superado com segurança uma tempestade de oblíquos, perseguição e abuso, e não haverá medo de censurarmos o escritor como alguém que defende demais. um preço sobre seu próprio caráter moral.

Verso 21

Porque guardei os caminhos do Senhor, e não me apartei impiamente do meu Deus.

Salmos 18:21

Aqui a afirmação de pureza é repetida, tanto na forma positiva quanto na negativa. Há “eu fiz ” e “eu não fiz“, os quais devem ser misturados em uma vida verdadeiramente santificada; a graça restritiva e restritiva deve cada uma ter sua parte. As palavras deste versículo se referem ao santo como um viajante atento aos “caminhos do Senhor ” e “não impiamente“, ou seja, intencionalmente, voluntariamente, persistentemente, abertamente, abandonando o caminho ordenado em que Deus favorece o peregrino. a presença dele. Observe como está implícito na expressão “e não me afastei impiamente do meu Deus” que Davi vivia habitualmente em comunhão com Deus, e sabia que ele era o seu próprio Deus, a quem ele poderia falar como” meu Deus “. Deus nunca se afasta do seu povo, deixe que eles se afastem dele.

Verso 22

Porque todos os seus juízos estavam diante de mim, e não rejeitei os seus estatutos.

Salmos 18:22
Porque todos os seus juízos estavam diante de mim

A palavra, o caráter e as ações de Deus devem estar sempre diante de nossos olhos; devemos aprender, considerar e reverenciá-los. Os homens esquecem o que não desejam se lembrar, mas os excelentes atributos do Altíssimo são objetos da admiração afetuosa e encantada do crente. Devemos manter a imagem de Deus tão constantemente diante de nós que nos tornemos em nossa medida conformes a ela. Esse amor interior à direita deve ser a principal fonte de integridade cristã em nossa caminhada pública. A fonte deve ser preenchida com amor à santidade, e então as correntes que dela resultam serão puras e graciosas. 

E não rejeitei os seus estatutos

Afastar as Escrituras do estudo da mente é a maneira certa de impedir que elas influenciem a conversa externa. Os desviados começam com Bíblias empoeiradas e passam a roupas imundas.

Verso 23

Também fui sincero perante ele, e me guardei da minha iniquidade.

Salmos 18:23
Também fui sincero perante ele

A sinceridade é aqui reivindicada; sinceridade, como seria considerado genuíno diante da barra de Deus. O que quer que homens maus pensassem dele, Davi sentiu que tinha a boa opinião de seu Deus. Além disso, a liberdade de seu único grande pecado, ele se atreve a implorar:

E me guardei da minha iniquidade

É um sinal muito gracioso quando as partes mais violentas da nossa natureza foram bem guardadas. Se o elo mais fraco da cadeia não for quebrado, os elos mais fortes estarão seguros o suficiente. O temperamento impetuoso de Davi pode ter levado ele a matar Saul. quando ele o tinha em seu poder, mas a graça permitiu que ele mantivesse as mãos limpas do sangue de seu inimigo; mas que maravilha era e quão digno de um registro tão agradecido quanto esses versículos proporcionam! um dia cordial conosco, lembrar-nos de nossas abnegações e abençoar a Deus por termos sido capazes de exibi-las.

Verso 24 

Assim que retribuiu-me o Senhor conforme a minha justiça, conforme a pureza de minhas mãos perante os seus olhos.

Salmos 18:24

Deus primeiro nos dá santidade e depois nos recompensa por isso. Nós somos sua obra; vasos feitos para honra; e quando feita, a honra não é retida do navio; embora, de fato, tudo pertença ao oleiro em cuja roda o navio foi formado. O prêmio é concedido à flor no show, mas o jardineiro a criou; a criança ganha o prêmio do diretor da escola, mas a verdadeira honra de sua escolaridade reside no mestre, embora, em vez de receber, ele dê a recompensa.

Verso 25 

Com o benigno te mostrarás benigno; e com o homem sincero te mostrarás sincero;

Salmos 18:25

Os tratos do Senhor em seu próprio caso fazem com que o cantor agradecido se lembre da regra usual do governo moral de Deus; ele é justo no trato com os filhos dos homens, e dá a cada um segundo a sua medida. 

Todo homem terá sua carne pesada em suas próprias balanças, seu milho medido em seu próprio alqueire e sua terra medida com sua própria vara. Nenhuma regra pode ser mais justa, para homens ímpios mais terríveis, ou para homens generosos mais. Como os homens jogariam fora seus pesos leves e quebrariam seus curtos quintais, se eles pudessem acreditar que eles próprios certamente serão os perdedores por seus truques obscenos! Observe que mesmo os misericordiosos precisam de misericórdia; a generosidade para com os pobres ou o perdão para com os inimigos pode nos colocar além da necessidade de misericórdia Senhor, tenha piedade de mim, um pecador.

Verso 26 

Com o puro te mostrarás puro; e com o perverso te mostrarás indomável.

Salmos 18:26

A perversidade do pecador é pecaminosa e rebelde, e o único sentido em que o termo pode ser aplicado ao Deus Santo é aquele de oposição e severidade judiciais, nas quais o Juiz de toda a Terra agirá de maneira contrária ao ofensor, e deixe-o ver que todas as coisas não devem ser subordinadas a caprichos perversos e fantasias deliberadas. Calvino diz com muita força: “Essa estupidez brutal e monstruosa nos homens obriga Deus a inventar novos modos de expressão, e como se vestir com um caráter diferente”. 

Há uma frase semelhante em Levítico 26: 21-24, onde Deus diz: “e se você andar contrário a (ou perversamente comigo), também andarei contrário a (ou perversamente, ou aproximadamente, ou aleatoriamente) você”. Como se ele dissesse que a obstinação e a obstinação deles o faziam esquecer sua tolerância e gentileza, e se lançar de forma imprudente ou aleatória contra eles. Vemos então o que os teimosos ganham longamente por sua obstinação; é isso que Deus se endurece ainda mais para quebrá-los em pedaços, e se eles são de pedra, ele os faz sentir que ele tem a dureza do ferro. “A tradição judaica era que o maná provava de acordo com a boca de cada homem. certamente Deus se mostra a cada indivíduo de acordo com seu caráter.

Versículo 27 

Porque tu livrarás o povo aflito, e abaterás os olhos altivos.

Salmos 18:27
Porque tu livrarás o povo aflito

Esta é uma garantia reconfortante para os pobres de espírito, cujas mágoas espirituais não admitem consolo suficiente de ninguém além de uma mão divina. Eles não podem salvar a si mesmos nem os outros podem fazê-lo, mas Deus os salvará.  

E abaterás os olhos altivos

Aqueles que desprezam os outros com desprezo serão desprezados por muito tempo. O Senhor abomina um olhar orgulhoso. Que motivo de arrependimento e humilhação! Quão melhor é ser humilde do que provocar Deus para nos humilhar em sua ira! Um número considerável de cláusulas ocorre nesta passagem no tempo futuro;

Verso 28 

Porque tu acenderás a minha candeia; o Senhor meu Deus iluminará as minhas trevas.

Salmos 18:28

Pois tu acenderás minha candeia” e mesmo assim a presença do Senhor remove toda a tristeza da tristeza e permite ao crente se alegrar com grande alegria. A iluminação da lâmpada é um momento alegre à noite de inverno, mas a elevação da luz do semblante de Deus é mais feliz agora. Dizem que os pobres do Egito se põem a comer pão para comprar óleo para a lâmpada, para que não se assentem nas trevas; poderíamos nos dar ao luxo de participar de todos os confortos terrestres se a luz do amor de Deus pudesse alegrar constantemente nossas almas. Dizem que os pobres do Egito se põem a comer pão para comprar óleo para a lâmpada, para que não se assentem nas trevas; poderíamos nos dar ao luxo de participar de todos os confortos terrestres se a luz do amor de Deus pudesse alegrar constantemente nossas almas. Dizem que os pobres do Egito se põem a comer pão para comprar óleo para a lâmpada, para que não se assentem nas trevas; poderíamos nos dar ao luxo de participar de todos os confortos terrestres se a luz do amor de Deus pudesse alegrar constantemente nossas almas.

Verso 29

Porque contigo entrei pelo meio duma tropa, com o meu Deus saltei uma muralha.

Salmos 18:29

Daqui em diante, até o verso 45, algumas repetições não são vãs. A segunda reflexão sobre a misericórdia de Deus deve ser e muitas vezes é a melhor. Como vinhos nas borras, nossa gratidão se torna mais forte e mais doce quando meditamos na bondade divina. Os versículos que temos que considerar agora são o fruto maduro de um espírito agradecido; são maçãs de ouro quanto à matéria e são colocadas em cestos de prata quanto à sua língua. Eles descrevem a carreira vitoriosa do crente e a confusão de seus inimigos.

Porque contigo entrei pelo meio duma tropa, com o meu Deus saltei uma muralha

Quer encontremos o inimigo em campo aberto ou saltemos sobre eles enquanto eles se escondem atrás das ameias de uma cidade, pela graça de Deus os derrotaremos em ambos os casos; se eles nos cercam com legiões vivas, ou nos cercam com paredes de pedra, obteremos com igual certeza nossa liberdade. Tais feitos que já realizamos, abrindo caminho em meio a inúmeras dificuldades e aumentando as impossibilidades de um salto. Os guerreiros de Deus podem esperar provar todas as formas de luta e, pelo poder da fé, devem decidir abandonar a si mesmos como homens; mas convém que tenham muito cuidado em pôr todos os louros aos pés de Jeová, cada um deles dizendo: “ pelo meu Deus“. Eu fiz este valente feito. Nosso spolia optima , os troféus de nossos conflitos, dedicamos o presente ao Deus das batalhas e atribuímos a ele toda a glória e força.

Verso 30 

O caminho de Deus é perfeito; a palavra do Senhor é provada; é um escudo para todos os que nele confiam.

Salmos 18:30
O caminho de Deus é perfeito

Muito além de toda falha e erro estão as relações de Deus com seu povo; todas as suas ações são resplandecentes com justiça, verdade, ternura, misericórdia e santidade. Todo caminho de Deus é completo em si mesmo, e todos os seus caminhos juntos são incomparáveis ​​em harmonia e bondade. Não é muito consolador acreditar que aquele que começou a nos abençoar aperfeiçoará sua obra, pois todos os seus caminhos são “ perfeitos “. Tampouco a divina “ palavra ” deve ficar sem seu cântico de louvor. 

A palavra do Senhor é provada

Como prata refinada na fornalha. As doutrinas são gloriosas, os preceitos são puros, as promessas são fiéis, e toda a revelação é superlativamente cheia de graça e verdade. Davi tentou, milhares tentaram, tentamos. e nunca falhou. Aconteceu que, quando o caminho e a palavra haviam sido exaltados, o próprio Senhor deveria ser engrandecido; daí, acrescenta-se:

É um escudo para todos os que nele confiam

Nenhuma armadura de prova ou o escudo de bronze protege tão bem o guerreiro como o pacto que Deus de Israel protege seu povo em guerra.Ele é o escudo dos confiantes, que pensamento é esse! Que paz pode gozar toda alma que confia!

Verso 31 

Porque quem é Deus senão o Senhor? E quem é rochedo senão o nosso Deus?

Salmos 18:31

Tendo mencionado seu Deus, o coração do salmista queima e suas palavras brilham; ele desafia o céu e a terra a encontrar outro ser digno de adoração ou confiança em comparação com Jeová. Seu Deus, como Matthew Henry diz, é um Nada-tal. Os ídolos dos pagãos que ele despreza mencionar, apagando todos eles como meras coisas quando se fala em Deidade. 

Porque quem é Deus senão o Senhor?

 Quem mais cria, sustenta, prevê e anula? Quem senão ele é perfeito em todos os atributos e glorioso em todos os atos? A quem, exceto Jeová, as criaturas deveriam se curvar? Quem mais pode reivindicar seu serviço e seu amor? 

E quem é rochedo senão o nosso Deus?

Onde podem ser fixadas esperanças duradouras? Onde a alma pode encontrar descanso? ​​Onde a estabilidade pode ser encontrada? Onde é possível descobrir a força? Certamente somente no Senhor Jeová podemos encontrar descanso e refúgio.

Verso 32 

Deus é o que me cinge de força e aperfeiçoa o meu caminho.

Salmos 18:32

Examinando toda a armadura em que lutou e conquistou, o vencedor alegre louva ao Senhor por todas as partes da panóplia. O cinto de seus lombos ganha a primeira estrofe: “Deus é o que me cinge de força e aperfeiçoa o meu caminho”.

Circundado pelos lombos com poder do céu, o guerreiro estava cheio de vigor, muito acima de todo o poder criado; e, embora, sem esse cinto maravilhoso, ele fosse fraco e efeminado, com energias relaxadas e forças dispersas, ele se sentia , quando preparado com o cinto da verdade, de propósito compacto, corajoso em ousadia e concentrado em poder, de modo que seu curso foi um completo sucesso, tão imperturbável pela derrota desastrosa que seria chamado de “perfeito”. mais do que vencedores do pecado, e até agora a nossa vida se tornou o evangelho? Então, atribuímos toda a glória àquele que nos cingiu com sua própria força inesgotável, para que sejamos vencidos em batalha e não nos cansemos em peregrinação.

Verso 33

Faz os meus pés como os das cervas, e põe-me nas minhas alturas.

Salmos 18:33

Os pés do conquistador foram calçados por uma mão divina, e a nota seguinte deve, portanto, se referir a eles. “Faz os meus pés como os das cervas, e põe-me nas minhas alturas”. Perseguindo seus inimigos, o guerreiro foi veloz quando jovem, mas, em vez de ter prazer nas pernas de um homem, ele atribui o benefício da rapidez apenas ao Senhor. Quando nossos pensamentos são ágeis e nossos espíritos rápidos, como os carros de Amminadib, não esqueçamos que a mão de nosso melhor Amado nos deu o favor da escolha. Subindo em fortalezas inexpugnáveis, David fora preservado de escorregar e levado a ficar onde escassa a cabra selvagem pode encontrar uma base; aqui estava preservando a misericórdia manifestada. Nós também tivemos nossos lugares altos de honra, serviço, tentação e perigo, mas até agora fomos impedidos de cair. Traga para cá a harpa e vamos imitar a alegre ação de graças do salmista; se tivéssemos caído, nossos lamentos deveriam ter sido terríveis; desde que permanecemos, que nossa gratidão seja fervorosa.

Verso 34

Ensina as minhas mãos para a guerra, de sorte que os meus braços quebraram um arco de cobre.

Salmos 18:34
Ensina as minhas mãos para a guerra

A destreza marcial e a habilidade no uso de armas são reconhecidamente reconhecidas como o resultado do ensino divino; nenhum sacrifício é oferecido no santuário do eu em louvor à destreza natural ou habilidade adquirida; mas, considerando todas as proezas bélicas como um presente de favor celestial, gratidão é apresentada ao Doador. O Espírito Santo é o grande mestre de perfuração dos soldados celestes. 

De sorte que os meus braços quebraram um arco de cobre

Ele atribui a honra de seus feitos inteiramente ao seu Deus. Nunca roubemos perversamente o que lhe é devido, mas fielmente lhe damos a glória que é devida ao seu nome.

Verso 35 

Também me deste o escudo da tua salvação; a tua mão direita me susteve, e a tua mansidão me engrandeceu.

Salmos 18:35
Também me deste o escudo da tua salvação

Acima de tudo, devemos tomar o escudo da fé, pois nada mais pode apagar os dardos inflamados de Satanás; esse escudo é de obra celestial e, em todos os casos, é um presente direto do próprio Deus; é o canal, o sinal, a garantia e o penhor da salvação perfeita. 

A tua mão direita me susteve

O apoio secreto nos é administrado pela graça preservadora de Deus e, ao mesmo tempo, a Providência gentilmente nos dá um auxílio manifesto. Somos tão bebês que não podemos ficar sozinhos; mas quando a mão direita do Senhor nos sustenta, somos como pilares de bronze que não podem ser movidos. 

E a tua mansidão me engrandeceu

Há várias leituras desta frase. A palavra é capaz de ser traduzida: “a tua bondade me engrandeceu”. Davi viu muita benevolência na ação de Deus para com ele, e agradeceu atribuir toda a sua grandeza não à sua própria bondade. , mas para a bondade de Deus. “Tua providência ” é outra leitura, que na verdade nada mais é do que bondade em ação. Bondade é o broto de cuja providência é a flor; ou bondade é a semente da qual a providência é a colheita. prestá-lo “tua ajuda “, que é apenas uma outra palavra para providência; providência sendo o firme aliado dos santos, ajudando-os no serviço de seu Senhor. Certos anotadores eruditos nos dizem que o texto significa “tua humildade me fez grande”. Davi atribui toda a sua grandeza à bondade e graça condescendentes de seu Pai celestial. Vamos todos sentir esse sentimento em nossos próprios corações, e confessar que, seja qual for a bondade ou grandeza que Deus possa ter colocado sobre nós, devemos lançar nossas coroas aos seus pés e chorar “.tua gentileza me fez grande . “

Verso 36

Alargaste os meus passos debaixo de mim, de maneira que os meus artelhos não vacilaram.

Salmos 18:36

Um caminho suave que levava a posses espaçosas e áreas de camping havia sido aberto para ele. Em vez de percorrer os estreitos caminhos das montanhas e se esconder nas fendas e nos cantos das cavernas, ele foi capaz de atravessar as planícies e habitar sob sua própria videira e figueira. Não é uma pequena misericórdia levar à plena liberdade e ampliação cristã, mas é um favor ainda maior poder andar dignamente nessa liberdade, sem poder escorregar com os pés. Ficar de pé nas rochas da aflição é o resultado de uma graciosa defesa, mas essa ajuda é tão necessária nas luxuosas planícies da prosperidade.

Verso 37

Persegui os meus inimigos, e os alcancei; não voltei senão depois de os ter consumido.

Salmos 18:37

A preservação dos santos pressagia seus adversários. Os amelequitas se achavam limpos com o espólio, mas quando o Deus de Davi o guiou na busca, logo foram surpreendidos e cortados em pedaços. Quando Deus está conosco, os pecados e as tristezas fogem, e todas as formas de mal são “ consumidas ” diante do poder da graça. Que quadro nobre esse e os seguintes versículos nos apresentam das vitórias de nosso glorioso Senhor Jesus!

Verso 38 

Atravessei-os de sorte que não se puderam levantar; caíram debaixo dos meus pés.

Salmos 18:38

A destruição de nossos inimigos espirituais está completa. Podemos exultar sobre o pecado, a morte e o inferno, como desarmados e incapacitados para nós pelo nosso Senhor conquistador; que ele graciosamente lhes dê uma derrota semelhante dentro de nós.

Versos 39 e 40

Pois me cingiste de força para a peleja; fizeste abater debaixo de mim aqueles que contra mim se levantaram. Deste-me também o pescoço dos meus inimigos para que eu pudesse destruir os que me odeiam.

Salmos 18:39-40

É impossível ser muito frequente no dever de atribuir todas as nossas vitórias ao Deus da nossa salvação. É verdade que temos que lutar com nossos antagonistas espirituais, mas o triunfo é muito mais do Senhor do que nosso. Não devemos nos orgulhar como os ambiciosos votantes da vanglória, mas podemos exultar como instrumentos dispostos e crentes nas mãos do Senhor para realizar seus grandes desígnios.

Verso 41

Clamaram, mas não houve quem os livrasse; até ao Senhor, mas ele não lhes respondeu.

Salmos 18:41

A oração é uma arma tão notável que até os iníquos a levarão em seus desesperos. Homens maus apelaram a Deus contra os próprios servos de Deus, mas todos em vão; o reino dos céus não está dividido, e Deus nunca sucede seus inimigos às custas de seus amigos. Há orações a Deus que não são melhores que blasfêmia, que não trazem resposta confortável, mas que provocam maior ira ao Senhor. Pedirei a um homem que fera ou mate seu próprio filho para gratificar minha malícia? Ele não se ressentiria do insulto contra sua humanidade? Quanto menos Jeová considerará os desejos cruéis dos inimigos da igreja, que ousam oferecer suas orações por sua destruição, chamando sua existência de cisma e sua doutrina heresia!

Verso 42 

Então os esmiucei como o pó diante do vento; deitei-os fora como a lama das ruas.

Salmos 18:42

A derrota das nações que lutaram com o rei Davi foi tão completa e completa que eram como pós martelados em um morteiro; seu poder foi quebrado em fragmentos e eles se tornaram tão fracos quanto a poeira diante do vento, e tão maus quanto a lama das estradas. Assim, sem poder e base, os inimigos de Deus agora se tornam através da vitória do Filho de Davi na cruz. Levanta-te, ó minha alma, e encontra teus inimigos, pois sofreram um golpe mortal e cairão diante do teu ousado avanço.

O inferno e os meus pecados resistem ao meu curso,
mas o inferno e o pecado são inimigos derrotados.
Meu Jesus os pregou na cruz dele,
e cantou o triunfo quando ele ressuscitou.

Verso 43 

Livraste-me das contendas do povo, e me fizeste cabeça dos gentios; um povo que não conheci me servirá.

Salmos 18:43
Livraste-me das contendas do povo

Conflitos internos são muito difíceis de lidar. Uma guerra civil é guerra em sua forma mais miserável; é um assunto de mais calorosa gratidão quando a concordância domina. Nosso poeta louva a Jeová pela união e paz que sorriam em seus domínios, e se tivermos paz nos três reinos de nosso espírito, alma e corpo, temos o dever de cantar uma canção para Jeová. A unidade em uma igreja deve certamente excitar como gratidão. 

E me fizeste cabeça dos gentios; um povo que não conheci me servirá

As nações vizinhas cederam ao domínio do príncipe de Judá. Oh, quando todas as terras adorarão o rei Jesus e o servirão com santa alegria? Certamente há muito mais de Jesus do que de Davi aqui. Os missionários podem obter rico incentivo do positivo declaração de que terras pagãs serão donas da chefia dos crucificados.

Verso 44 

Em ouvindo a minha voz, me obedecerão; os estranhos se submeterão a mim.

Salmos 18:44

Assim, prontamente, o capitão que antes lutava se tornou um vencedor de renome e, portanto, fáceis serão nossos triunfos. Preferimos, no entanto, falar de Jesus. Em muitos casos, o evangelho é rapidamente recebido por corações aparentemente despreparados para isso. Aqueles que nunca ouviram o evangelho antes, ficaram encantados com sua primeira mensagem e renderam obediência a ele; enquanto outros, infelizmente! que estão acostumados com seu som alegre, são mais endurecidos do que suavizados por seus ensinamentos. A graça de Deus às vezes corre como fogo entre os restolhos, e uma nação nasce em um dia. “Amor à primeira vista” não é algo incomum quando Jesus é o cortejador. Ele pode escrever a mensagem de César sem se gabar, Veni, vidi, vici; seu evangelho é, em alguns casos, mal ouvido e acreditado. Que incentivos para difundir a doutrina da cruz!

Verso 45  

Os estranhos descairão, e terão medo nos seus esconderijos.

Salmos 18:45
Os estranhos descairão

Como folhas queimadas ou árvores destruídas, nossos inimigos e os inimigos de Cristo não encontrarão seiva e resistência neles. Aqueles que são estranhos a Jesus são estranhos a toda felicidade duradoura; aqueles em breve desaparecerão que se recusam a ser regados do rio da vida. 

E terão medo nos seus esconderijos.

Fora das montanhas da montanha, os pagãos rastejaram com medo de lealdade ao rei de Israel e, mesmo assim, dos castelos da autoconfiança e das covas da segurança carnal, os pobres pecadores vêm curvando-se diante do Salvador, Cristo Senhor. pecados que se entrincheiraram em nossa carne e sangue, como em fortalezas inexpugnáveis, ainda serão expulsos pela energia santificadora do Espírito Santo, e serviremos ao Senhor em unicidade de coração.

Assim, com a lembrança de conquistas no passado, e com boas antecipações de vitórias ainda por vir, o doce cantor fecha a descrição e volta a exercer uma adoração mais direta a seu Deus gracioso.

Verso 46 

O Senhor vive; e bendito seja o meu rochedo, e exaltado seja o Deus da minha salvação.

Salmos 18:46
O Senhor vive

Possuir vida subi vidente, essencial, independente e eterna. Não servimos a Deus inanimado, imaginário ou moribundo. Ele só tem imortalidade. Como súditos leais, vamos chorar, Viva Deus. Viva o rei dos reis. Pela tua imortalidade nos dedicamos novamente a ti. Como o Senhor nosso Deus vive, assim viveríamos para ele. 

E abençoada seja minha rocha

Ele é o fundamento de nossa esperança e deixe que ele seja o assunto de nosso louvor. Nossos corações abençoam o Senhor, com amor santo exaltando-o.

Jeová vive, minha rocha seja abençoada!
Louvado seja o Deus que me dá descanso!

E exaltado seja o Deus da minha salvação

Como nosso Salvador, o Senhor deve mais do que nunca ser glorificado. Deveríamos publicar no exterior a história da aliança e da cruz, a eleição do Pai, a redenção do Filho e a regeneração do Espírito. Aquele que nos resgatar da ruína merecida deve ser muito querido para nós. No céu, eles cantam “Àquele que nos amou e nos lavou em seu sangue”; a música similar deve ser comum nas assembleias dos santos abaixo.

Verso 47 

É Deus que me vinga inteiramente, e sujeita os povos debaixo de mim;

Salmos 18:47

Regozijar-se com a vingança pessoal é imutável e maligno, mas Davi se considerava o instrumento de vingança contra os inimigos de Deus e seu povo, e se não tivesse se regozijado com o sucesso que lhe fora concedido, teria sido digno de censura. Que os pecadores perecem é em si uma consideração dolorosa, mas que a lei do Senhor é vingada sobre aqueles que a violam é, para a mente devota, um tema de gratidão. Devemos, no entanto, sempre lembrar que a vingança nunca é nossa, a vingança pertence ao Senhor, e ele é tão justo e com tanto sofrimento no exercício dela, que podemos deixar com segurança sua administração em suas mãos.

Verso 48 

O que me livra de meus inimigos; sim, tu me exaltas sobre os que se levantam contra mim, tu me livras do homem violento.

Salmos 18:48

De todos os inimigos, e especialmente de alguém que era preeminente em violência, o ungido do Senhor foi preservado e, finalmente, sobre a cabeça de Saul e todos os outros adversários, ele reinou em honra. O mesmo fim aguarda todo santo, porque Jesus que se inclinou a ser levemente estimado entre os homens agora é obrigado a sentar-se muito acima de todos os principados e poderes.

Verso 49 

Assim que, ó Senhor, te louvarei entre os gentios, e cantarei louvores ao teu nome,

Salmos 18:49

Paulo cita este versículo em Romanos 15: 9: “E para que os gentios glorifiquem a Deus por sua misericórdia; como está escrito: Por essa causa confessarei a ti entre os gentios e cantarei em teu nome”. Esta é uma evidência clara de que o Senhor de Davi está aqui, mas Davi também está aqui, e deve ser visto como um exemplo de uma alma santa se vangloriando em Deus, mesmo na presença de homens ímpios. Quem são os desprezadores de Deus que devemos parar de falar por eles? Cantamos ao nosso Deus, gostem ou não, e forçamos sobre eles o conhecimento de sua bondade. Muita polidez para os traidores pode ser uma traição ao nosso rei.

Verso 50 

Pois engrandece a salvação do seu rei, e usa de benignidade com o seu ungido, com Davi, e com a sua semente para sempre.

Salmos 18:50

Este é o verso de encerramento em que o escritor lança uma plenitude de expressão, indicando o mais arrebatador deleite de gratidão. “ Grande libertação .” A palavra “ libertação ” é plural, para mostrar a variedade e integridade da salvação; o adjetivo “ ótimo ” está bem colocado se considerarmos o que, para quê e como somos salvos. Toda essa misericórdia nos é dada em nosso Rei, o Ungido do Senhor, e esses são realmente abençoados que, como sua semente, podem esperar que a misericórdia seja construída para sempre. O Senhor foi fiel ao David literal, e ele não quebrará sua aliança com o David espiritual, pois isso envolveria muito mais a honra de sua coroa e caráter.

O Salmo termina com o mesmo espírito amoroso que brilhou em seu início; felizes são os que podem cantar de amor em amor, assim como os peregrinos marchavam de força em força.


Citações escriturísticas a partir da Versão Almeida Corrigida Fiel (ACF). 2020 © Traduzido por Amanda Martins. Para o uso correto deste recurso viste nossa Página de Permissões.

Publicidade:
Charles Spurgeon

Charles Spurgeon

Charles H. Spurgeon (1834-1892) foi pregador, autor e editor britânico. Spurgeon também foi pastor do Tabernáculo Batista Metropolitano, em Londres. É conhecido como “Príncipe dos Pregadores”.

Publicidade: